O futebolista sérvio Dejan Kerkez disse hoje à agência Lusa que a rescisão por mútuo acordo com o Marítimo “foi o melhor para todos”, tendo regressado ao seu país natal para representar o Napredak Krusevac por duas épocas.

“A rescisão foi amigável. Tínhamos contrato por mais três anos, mas obviamente, isto foi o melhor para todos”, frisou o defesa central, que chegou ao Marítimo na temporada 2019/2020, tendo realizado 18 partidas oficiais nesse mesmo ano.

A temporada transata não correu de feição ao jogador que atua no setor mais recuado do campo, tendo realizado três jogos ao serviço dos madeirenses, tendo sido cedido a título de empréstimo, em janeiro, ao CD Mafra, da II Liga.

O atleta natural de Novi Sad realizou na Madeira a sua primeira experiência no estrangeiro.

A I Liga portuguesa, é um “campeonato com muita qualidade”, garantiu Kerkez, que assumiu sentir-se “honrado” por ter defrontado os “quatro grandes de Portugal” e apenas ter saído derrotado diante do FC Porto.

O defesa central, de 25 anos, acredita que voltar à Sérvia e assinar pelo Napredak Krusevac “foi a melhor decisão” tendo em conta a situação pandémica que o mundo atravessa.

“Estou ansioso para começar a época e lutar de novo pelo meu clube e por mim, porque na última época não me foram concedidas muitas oportunidades para jogar”, frisou, enfatizando que a nova equipa tem muitos jogadores jovens, mas com muito talento.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.