Laurentino Dias, que falava à margem do lançamento da primeira pedra do Centro de Alto Rendimento de Gaia, acredita que depois dos esclarecimentos de quinta-feira “os árbitros não irão avançar com a paralisação”.

“As preocupações dos árbitros são de diversa natureza, desde a fiscal à segurança social, e vêm sendo conversadas já há algum tempo”, disse Laurentino Dias, que ficou “surpreendido com o anúncio da paralisação”.

O governante, por não ter tido nenhuma notícia que apontasse nesse sentido, convidou quinta-feira o presidente da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF), Luís Guilherme, para “esclarecer a situação”.

“Nessa reunião falámos sobre diversas questões que eram públicas, nomeadamente as preocupações dos árbitros, e entre elas estava o despacho que há muito estava pronto e vai ser enviado para publicação”, acrescentou.

Ainda de acordo com Laurentino Dias, o despacho, que aborda a questão fiscal que afecta os jovens árbitros de futebol, “só não foi publicado porque havia alguma diferença de interpretação na sua aplicação”.

“As várias interpretações foram esclarecidas nessa reunião e julgo que estão criadas condições para que não haja nenhuma paragem no serviço dos árbitros, quer no futebol quer nas outras modalidades”, referiu.

Laurentino Dias não tem, no entanto, a garantia de que os árbitros não irão, de facto, parar no próximo fim-de-semana, pois “não foi para negociar a greve ou o seu levantamento” que convidou quinta-feira a APAF.

“Foi para ver o que estava em causa, esclarecer e perceber as situações em concreto que se colocam aos árbitros que conversei com Luís Guilherme”, disse Laurentino Dias, acrescentando que foi uma conversa “muito boa”.

A intenção de paragem dos campeonatos profissionais é promovida pela Confederação das Associações de Juízes e Árbitros de Portugal, em protesto contra o Regime Fiscal e o Código Contributivo da Segurança Social.

O "clássico" FC Porto-Benfica e os restantes jogos da 10.ª jornada da Liga estão, por isso, em risco, visto que a maioria dos árbitros portugueses já demonstrou a sua indisponibilidade para 6 e 7 de Novembro.

À Comissão de Arbitragem da Liga, presidida por Vítor Pereira, já chegaram várias cartas de indisponibilidade, como forma de protesto face ao Regime Fiscal e o Código Contributivo da Segurança Social.

A iniciativa abrange juízes de outras modalidades, como o andebol e o basquetebol.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.