O treinador do Beira-Mar, Leonardo Jardim, afirmou hoje que a demissão do presidente do clube é um momento “marcante” para o plantel, mas promete “fazer o melhor trabalho para encontrar uma solução”.

Na conferência de imprensa de antevisão à partida com o Paços de Ferreira, o técnico dos aveirenses não fugiu ao assunto: ”Existe sempre uma reacção quando um jogador parte para o seu dia de trabalho e o líder da direcção se demitiu”.

“Não é a mesma coisa” ironizou o treinador, que salientou que este cenário não é uma situação estranha para o grupo de trabalho: “Nos 16 meses que cá estou, já alterámos a direção cinco vezes, por isso não é novo para nós”.

Leonardo Jardim considerou “o Beira-Mar é um clube sui generis”, acrescentando: “Enquanto treinador tento minimizar os estragos que possam acontecer e estou aqui para servir o clube e apoiar as direcções que surjam”.

O treinador disse ainda não ter reunido com os elementos da direcção, mas disse acreditar na viabilidade do clube e na liderança do Beira-Mar.

“Vamos reunir estratégias para manter a filosofia de trabalho e a nossa forma de estar”, sublinhou.

Em relação ao encontro com o Paços de Ferreira, Leonardo Jardim espera “fazer um bom resultado, que passa por ganhar”, mas tem três baixas confirmadas: Maranhão fica de fora por lesão, enquanto André Marques e Djamal cumprem castigo.

O técnico mostrou-se tranquilo e sustentou que “o plantel existe para criar soluções”.

O Beira-Mar, 12.º classificado com 7 pontos, defronta o Paços de Ferreira, que ocupa a oitava posição, com 10, num encontro agendado para sábado pelas 18:00 horas no Estádio da Mata Real.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.