Luís Duque, um dos candidatos às eleições da Liga da próxima terça-feira, criticou o facto de Pedro Proença também avançar como candidato, apontando como "bizarra" a decisão do antigo árbitro.

"O que eu acho estranho é que alguém que se notabilizou numa atividade como a arbitragem tenha avançado para liderar uma associação de clubes. Acho no mínimo bizarra a situação. Imagine que um presidente de um dos três grandes, por exemplo o Luís Filipe Vieira, se candidatava a presidente da APAF…tinha o mesmo direito, mas não deixava de constituir um absurdo para nós, não seria a melhor solução. Nesse aspeto tenho de achar tudo isso estranho. Acho uma intromissão intolerável na vida dos clubes e naquilo que deve ser decidido apenas pelos clubes. O futuro e o destino da Liga dependem apenas dos clubes. Não dependem da vontade de árbitros ou de outros", atirou Duque em declarações aos jornalistas na sede do organismo, no Porto.

Duque comentou ainda o facto de Proença não ter apresentado listas para a Assembleia Geral e para o Conselho Fiscal. "Ainda não está confirmado, as candidaturas fecham às 13h00, mas se assim for não me parece um projeto estruturado para o futuro mas apenas um impulso para tentar atingir outro tipo de objetivos. Se calhar tem muito menos a ver com a Liga do que com outras instituições, sendo a Liga apenas um mero instrumento de outras lutas que não devem competir a esta casa", rematou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.