O técnico do Nacional, Luís Freire, afirmou hoje que a equipa madeirense deseja "ser a primeira a vencer" o líder, na antevisão do jogo com o Sporting relativo à 13.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Luís Freire considera que preparar um jogo com estas características tem lados positivos e negativos.

"Todos os jogadores gostam de jogar estes jogos com os melhores. Em termos motivacionais é mais fácil de preparar, por outro lado, temos o adversário que tem mais valia e qualidade e nessa perspetiva já é mais difícil", começou por afirmar o técnico dos insulares, embora assegure que o Nacional está "sempre motivado para jogar contra qualquer adversário".

Apesar das dificuldades que prevê encontrar, Luís Freire é taxativo: "Vamos querer ganhar ao Sporting e não haja quem duvide".

Sublinhando que o Nacional quer ser "o primeiro a vencer o Sporting", embora sabendo que "muitos já tentaram e não conseguiram, mas algum dia alguém vai vencer e nós queremos ser essa equipa", encarando isso como um aliciante.

Luís Freire avalia o atual líder da prova, como um conjunto "muito bem orientado, com excelentes jogadores e que tem jogado muito bom futebol", sublinhando que "o seu treinador está a fazer um grande trabalho".

"O Sporting é uma equipa muitíssimo completa e o primeiro lugar não está lá por acaso. São muito reativos à perda da bola, com uma grande atitude, mas tem pontos fracos como todas as equipas", disse Luís Freire.

O técnico acrescentou ainda: "Quando tens tanta gente com qualidade do outro lado, só queres nivelar-te, querendo ser tão ou mais competente que o adversário".

O Nacional procurará neste jogo "mostrar o seu valor", com "coragem no jogo", pois o Sporting "tem muitas valias", considerando que esta contenda é quase como "um David contra Golias".

"Sporting é sem dúvida um grande candidato, mas sabemos que haverá um dia em que as coisas não irão correr tão bem e vamos querer que o nosso dia corra bem", referiu, lembrando que o Sporting está num “grande momento, mas que “a qualquer momento as coisas podem se inverter”.

A ausência de público foi também um tema abordado.

"A questão dos adeptos é fundamental para todos os clubes e para nós não é exceção. Queríamos muito que estivessem aqui com connosco, mas o importante é o Nacional se agigantar, o que não será nada fácil", frisou.

Luís Freire considera que o Nacional "está a fazer um bom campeonato, mas todos os jogos são irrepetíveis", embora mostre esperança de que "o melhor do Nacional ainda está para vir".

Recorde-se que o Nacional não entrou em campo na última ronda, na deslocação ao Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, onde defrontaria o Vitória de Guimarães, face ao surto do novo coronavírus que atingiu a equipa minhota.

Está situação mereceu um comentário de Luís Freire: "Este é o terceiro jogo que é adiado. Será que em maio, com o Europeu à porta, os jogos serão também adiados? Queremos é que o critério seja igual".

O Nacional, nono com treze pontos, mas menos um jogo, recebe quinta-feira no Estádio da Madeira, no Funchal, a partir das 18:30, o invicto líder Sporting, que soma 32 pontos, em partida relativa à 13.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, que será arbitrada por Manuel Mota, da associação de Braga.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.