O candidato às eleições da Académica Maló de Abreu apresentou hoje um programa com 30 medidas que prevêem, entre outras, a recuperação de sócios, uma auditoria externa às contas e a criação de um fundo de investimento de jogadores.

Antes de apresentar detalhadamente o programa eleitoral da Lista B, Maló criticou aquilo que chamou de «decisões lamentáveis» da actual direcção que limitam o direito de voto a apenas cerca de 3.500 associados, o anúncio de contratos com patrocinadores, renovações e eventuais contratações de jogadores, assim como a mudança do “naming” do estádio, que alegadamente acarreta um prejuízo de 3 milhões de euros.

«Renovar com jogadores a quatro dias das eleições é um absurdo. O homem [José Eduardo Simões] nem tem coragem de anunciar o treinador que já contratou. No dia 7, os sócios não poderão beneficiar o infractor. Sinto-me confiante em que vou ganhar estas eleições», começou por dizer o candidato, antes de anunciar as medidas.

Maló reforçou a necessidade de ter o «Estádio cheio, com o apoio das da cidade e da região, reduzindo o preço dos ingressos no estádio, nomeadamente para jovens», anunciando ainda «uma campanha de recuperação de novos sócios», nomeadamente entre os estudantes.

Já quanto à formação, para além da criação de um gabinete de prospecção, a criação de uma «escola de guarda-redes» é uma ideia nova, aproveitando os recursos do clube.

No futebol profissional «o perfil do futebolista da Académica vai ser estabelecido e a equipa técnica será composta por «um núcleo duro de treinadores da casa: guarda-redes, adjunto e preparador físico». O objectivo é chegar às competições europeias no mandato de três anos.

No aspecto financeiro, apontou medidas como a redução do passivo em 25 por cento, a auditoria externa às contas do clube, o aumento das receitas com mais sócios e assistências e desenvolvimento do “merchandising”, bem como a criação de um «fundo de investimento de jogadores» no valor de 10 milhões de euros, com sócios, investidores regionais e nacionais que queiram assumir uma parceria com a Académica.

A realização de um "Congresso da Académica", o apoio à claque Mancha Negra e a revisão estatutária para permitir que todos os sócios possam votar foram pontos bem enfatizados pelo candidato.

Finalizou com a intenção de «modernizar o Pavilhão Jorge Anjinho», o alargamento da Academia do clube e a implementação de uma unidade de gestão moderna no Estádio Cidade de Coimbra.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.