Ao cabo de sete jornadas da I Liga e dois jogos da fase de grupos da Liga Europa, nem Mantorras, nem Stojkovic chegarem a entrar em campo uma vez que seja.

As contratações dos avançados Weldon, Keirrison e Saviola, relegaram Pedro Mantorras definitivamente para fora das convocatórias. Jorge Jesus mantém-no no plantel, mas a verdade é que o angolano não teve qualquer oportunidade, nem deverá ter tão cedo.

A selecção de Angola tem sido assim o refúgio do avançado. O seleccionador Manuel José acredita nas qualidades de Mantorras e continua a convocá-lo e a dar-lhe minutos de jogo, apesar das críticas que têm chovido.

Este sábado o avançado volta a ter nova oportunidade no encontro particular com Malta.

O caso de Stojkovic tem contornos diferentes, mas é também um jogador que vive apenas e só dos jogos disputados pela sua selecção.

Após não ter encontrado colocação neste mercado de Verão, o o guarda-redes voltou ao clube com o qual tem contrato: o Sporting.

Apesar de se treinar com o plantel, a verdade é que o sérvio é a quarta opção na baliza dos leões e as possibilidades de poder somar qualquer minuto esta época são praticamente nulas.

Resta-lhe então a selecção sérvia. O técnico Radomir Antic não abdica de Stojkovic nas suas convocatórias e é aí que o guardião tem ganho, esporadicamente, ritmo competitivo.

Apesar das muitas semelhanças, a principal diferença entre os dois reside naquilo que significam para os clubes que representam.

Stojkovic só está no Sporting porque não consegue arranjar clube e a simpatia dos adeptos pelo jogador é diminuta.. Já Mantorras é "prata da casa". O angolano é um símbolo do clube e a verdade é que os treinadores passam, mas o angolano fica sempre, mesmo que seja sem jogar.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.