O treinador do Nacional, Manuel Machado, considerou esta sexta-feira que o jogo de sábado no terreno do Estoril-Praia, na jornada inaugural da I Liga de futebol, «é difícil, mas de favoritismo repartido».

«Não há um favoritismo claro de nenhuma das equipas, é repartido, mas o jogo com Estoril é de grande dificuldade, até porque o adversário tem mais três semanas de trabalho do que nós e já disputou uma pré-eliminatória da Liga Europa», afirmou em conferência de imprensa.

Apesar de haver três jogadores lesionados no plantel, Machado desvaloriza o facto: "Não temos grandes problemas, porque temos a maioria dos jogadores disponíveis, em teoria, em condições de começar campeonato", explicou.

O treinador nacionalista admite que haja alguma ansiedade, que não cria um panorama bom para a equipa, mas garante que o Nacional enfrenta o Estoril com confiança e espera que os sinais da fase final da temporada passada se mantenham.

«Esperamos que o progresso feito na segunda volta da época passada tenha continuidade, porque desejamos ter um nível condizente com esse», sublinhou.

Numa pequena análise ao adversário, Manuel Machado considera que «não há transformações profundas no Estoril-Praia», porque não perdeu muitos jogadores. «É verdade que perdeu três ou quatro bons jogadores, mas isso não afetará a sua qualidade», afirmou.

Relativamente às metas do Nacional, Machado foi taxativo: «Temos o objetivo de nos qualificarmos para uma prova europeia, mas há um número grande de equipas que apostam no mesmo pressuposto», considerou a concluir.

O encontro entre o Nacional e o Estoril-Praia está marcado para as 18h00 de sábado, no Estádio António Coimbra da Mota, no Estoril, e será arbitrado pelo lisboeta Duarte Gomes.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.