Miguel Cardoso estava satisfeito com a sua equipa depois do jogo com o FC Porto.

"Eu tinha dito aos meus jogadores que havia uma coisa que queria, que era independenemtne do que acontecesse no jogo eu lhes daria um abraço forte, o que provava a satisfação das exibições que fizeram. Isso aconteceu, dei um abraço individual a cada um deles, gosto de ver o Rio Ave jogar. Mas não são vitórias morais, não gosto de vitórias morais. Só gosto de saber que estamos juntos e a lutar para vencer", referiu o técnico, dizendo que gostou de ver Nuno Santos.

"Todos os jogadores estão perfeitamente conscientes do que é preciso em casa posição. Optarmos pelo Nuno não tem a ver só com ele, tem a ver com a equipa. O Nuno jogou bem, esteve à altura mas qualquer um que tivesse jogado ia jogar bem", referiu, dizendo que a equipa esteve quase perfeita na primeira parte.

"Nós estavamos preparados para as varias disposições táticas do que o FC Porto iria preparar. Fizemos uma excelente primeira parte, controlando o Porto nos problemas que nos iamos criando, sabiamos que tinhamos de pressionar, de garantir a salvaguarda no espaço das nossas costas. Acabamos por fazer isso perfeitamente. O FC Porto faz golo numa bola parada, que estavamos preparados mas eles foram competentes e é isso que acaba por mudar o jogo", disse Miguel Cardoso, que acredita nas vitórias da sua equipa.

"Aquilo que acreditamos é que estamos a fazer um caminho e avaliamos esse caminho no final. O Marcão não poderá dar o seu contributo, mas são coisas que não controlo. Eu falo apenas daquilo que controlo e isso não são problemas. Acredito que, da maneira que jogamos, vamos ganhar mais vezes", confirmou.

O FC Porto venceu o Rio Ave por 2-1, em jogo a contar para a sexta jornada da I Liga.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.