Apenas três dias depois de uma deslocação exigente a Moscovo, o Benfica estreou-se na I Liga 2011/22 com um triunfo em Moreira de Cónegos que esteve longe de ser um passeio tranquilo. Os 'encarnados' marcaram cedo - a0s 19 minutos já venciam com dois golos de vantagem - mas um erro defensivo e uma expulsão de Diogo Gonçalves acabariam por complicar a tarefa da equipa de Jorge Jesus. No entanto, mesmo em superioridade numérica, o Moreirense não conseguiu criar situações de golo e o Benfica respirou de alívio.

Veja o resumo

Sem surpresas, dada a proximidade do segundo jogo contra o Spartak, Jorge Jesus apresentou-se com um onze bastante remendado para a estreia no campeonato: seis mexidas, com destaque para as estreias de Metié e Gil Dias. O técnico encarnado manteve, contudo, a linha de três defesas - estratégia igualmente adotada por João Henriques.

O Benfica entrou com algumas dificuldades em subir no terreno, mas conseguiu chegar ao golo bastante cedo, na sequência de um canto. Após o pontapé de Everton, gerou-se grande confusão na área e Lucas Veríssimo aproveitou  uma tentativa de corte de Abdu Conté e cabeceou para o fundo das redes (9').

Apenas dois minutos depois, o Moreirense sofria novo percalço. Artur Jorge recebeu ordem de expulsão, num lance em que Waldschmidt seguia isolado, mas Vítor Ferreira decidiu retirar o cartão vermelho após o visionamento das imagens. O 11 para 11 não saiu beliscado, mas aos 19 minutos já o Benfica vencia por 2-0. Lucas Veríssimo descobriu Diogo Gonçalves no flanco direito, o lateral cruzou rasteiro para a área, Rosic não conseguiu o corte e a bola sobrou para Waldschmidt, que confirmou a queda para marcar em jornadas inaugurais.

A vantagem confortável deixou os 'encarnados' mais relaxados no jogo, com o Moreirense a aproveitar uma falha na defesa contrária para reduzir: grande abertura de Yan Matheus para Rafael Martins (30'), com este a ultrapassar Vlachodimos - com muita classe, diga-se - e a atirar para a baliza deserta.

O Benfica entrava na segunda parte motivado pela boa resposta ao golo sofrido, com destaque para uma bola ao poste de Gonçalo Ramos aos 40', mas uma nova contrariedade quase deitou tudo a perder. Diogo Gonçalves foi expulso após uma entrada sobre Abdu Conté, a equipa recuou e o jogo perdeu qualidade.

Mesmo com João Henriques a apostar num esquema mais ofensivo, o Moreirense raramente conseguiu incomodar Vlachodimos, exceção feita quando Rúben Ismael (69') fugiu nas costas de Gil Dias e rematou cruzado, para uma boa defesa do guardião grego. Por seu lado, o Benfica soube controlar as emoções até ao fim e, com mais ou menos dificuldade, segurar o primeiro triunfo no campeonato.

O momento

Expulsão de Diogo Gonçalves: A saída prematura do lateral foi um duro golpe nas aspirações do Benfica, complicando um jogo que chegou a parecer fácil para as 'águias'.

O melhor

Lucas Veríssimo: O central brasileiro abriu o marcador, de cabeça, logo aos 9 minutos, e iniciou a jogada do 2-0, ao descobrir Diogo Gonçalves no corredor direito. No plano defensivo foi um autêntico líder, ajudando a segurar a (magra) vantagem até ao fim.

O pior

Diogo Gonçalves: Não só colocou em risco a integridade física de Abdu Conté, que teve de deixar o relvado de maca, como prejudicou a equipa sem qualquer necessidade.

Reações

Jorge Jesus: "Temos de saber jogar melhor com menos um"

João Henriques: "Levámos o Benfica para o último terço do campo"

Rafael Martins: "Merecíamos sair daqui pelo menos com o empate"

Lucas Veríssimo elogia "dedicação" da equipa após Moscovo: "Corremos do início ao fim"

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.