O Benfica anunciou, esta quinta-feira, em comunicado à CMVM, ter chegado a um acordo com os ingleses do Tottenham para a transferência de Carlos Vinícius, a título de empréstimo por uma temporada. Esta não é a primeira vez que Mourinho se reforça no campeonato nacional, muito menos no Benfica.

Nos últimos anos, em todos os clubes pelos quais passou, o 'Special One' sempre gostou de se reforçar no mercado português e o clube da Luz é um dos fornecedores preferidos. Na realidade, Vinícius é o sexto jogador que Mourinho 'rouba' ao Benfica.

Os 'assaltos' à Luz

O primeiro jogador que José Mourinho contratou ao Benfica foi Tiago. O médio trocou a Luz pelo Chelsea no início da temporada 2004/2005 a troco de 12 milhões de euros, depois de três anos de águia ao peito.

Seguiu-se Di María. Assim que chegou ao Real Madrid, na época 2010/2011, o treinador português contratou o extremo argentino que estava há três épocas ao serviço do Benfica. Di María custou 36 milhões de euros aos merengues.

No ano seguinte, Mourinho voltou a 'pescar' na Luz. À terceira, o técnico de Setúbal levou um internacional português: Fábio Coentrão. O Benfica recebeu 30 milhões de euros pelo lateral, que estava há seis anos na Luz - metade deles cedido por empréstimo.

Na temporada 2013/2014, Mourinho voltou a dar lucro aos cofres benfiquistas. De volta ao Chelsea, o técnico levou Matic, médio que na altura jogava sob a alçada de Jorge Jesus. O negócio render 25 milhões de euros aos encarnados.

A antepenúltima aposta de José Mourinho na Luz foi Lindelof. Em 2016/2017, o 'Special One' veio reforçar-se a Lisboa e levou o central sueco para o Manchester United a troco de 35 milhões de euros.

Já este ano, o treinador português veio buscar Gedson Fernandes. Em janeiro, o jovem médio rumou ao Tottenham numa cedência de 18 meses com uma taxa de empréstimo de 4,5 milhões de euros.

No total, José Mourinho já rendeu mais de 140 milhões de euros ao Benfica. Mas não foi só na Luz que o 'Special One' se reforçou.

Pescar nas águas (inter)nacionais

Embora o Benfica seja o clube 'preferido' de Mourinho, a verdade é que o treinador já se reforçou noutros clubes portugueses.

Ao serviço do Chelsea, além de Tiago e Matic (mencionados acima), o técnico levou ainda o central Ricardo Carvalho por 30 milhões de euros e o lateral Paulo Ferreira por 20 milhões de euros - ambos do FC Porto. Mas, Mourinho não ficou por aqui e contratou ainda Nuno Morais do Penafiel a custo zero e o guarda-redes Hilário ao Nacional.

Já no Manchester United, José Mourinho esteve mais controlado no que ao mercado português dizia respeito. Além de Lindelof, o 'Special One' garantiu apenas a contratação de Diogo Dalot, num negócio que rendeu cerca de 22 milhões de euros aos cofres do FC Porto na temporada 2018/2019.

Atualmente, ao serviço do Tottenham, Mourinho contratou apenas Gedson Fernandes e Carlos Vinícius, já mencionados e ambos do Benfica.

Além de gostar de se reforçar nos clubes portugueses, José Mourinho também gosta de contratar jogadores lusos, independentemente do clube que estes representem, como foi o caso de Maniche.

Na temporada 2004/2005, Mourinho contratou o ex-internacional português ao Dínamo Moscovo e levou-o para o Chelsea por empréstimo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.