O Nacional venceu este sábado o Gil Vicente, por 3-1, em jogo da 29.ª jornada da Liga portuguesa de futebol, despedindo-se da Choupana esta temporada com um triunfo, numa partida em que esteve a perder.

Claudemir, Keita e Mário Rondon foram os artífices do triunfo dos insulares que sofreram primeiro um golo, da autoria de Hugo Vieira, vantagem que os minhotos não souberam segurar.

Com este triunfo, os madeirenses asseguraram a sétima posição na tabela, somando agora com 41 pontos, enquanto o Gil Vicente manteve a nona posição com os mesmos 31 pontos.

Sob dispositivos táticos idênticos, insulares e minhotos desenvolveram um futebol pouco atrativo, mas num jogo sempre muito disputado.

Menos ofensivos do que o habitual em jogos na Choupana, os madeirenses depararam-se com um adversário disposto a discutir o resultado palmo a palmo.

Não foi por isso de estranhar que, na primeira parte, os gilistas tenham sido o conjunto mais objetivo, face a um Nacional com poucas ideias na primeira parte.

A uma primeira ameaça de Claudenir, aos quatro minutos, o conjunto de Barcelos respondeu com duas oportunidades, aos 18 e 35 minutos, a primeira protagonizada por Hugo Vieira e a segunda por João Vilela.

Contudo, à terceira tentativa o Gil Vicente marcou: contra-ataque rápido, com Hugo Vieira a ficar isolado e a rematar cruzado, batendo Vladan.

O golo teve o condão de espevitar o conjunto da Choupana que conseguiu aproximar-se mais vezes e com perigo junto da baliza de Adriano.

O golo do empate surgiu já nos descontos (45+2) da primeira parte, num livre direto superiormente cobrado por Claudemir que Adriano não conseguiu deter.

Na segunda parte, a toada foi praticamente a mesma, com os gilistas de novo mais próximos da baliza adversária.

Aos 59 minutos, o Gil Vicente poderia ter-se adiantado no marcador, num lance de ataque em que João Vilela serviu Luís Carlos, mas o remate foi cortado por Moreno sobre a linha de baliza.

O Nacional voltou a reagir, colocando-se pela primeira vez em vantagem no jogo aos 68 minutos: cruzamento de Mateus, com um cabeceamento de Keita a bater Adriano pela segunda vez.

Aos 76 minutos, os gilistas podiam ter empatado a partida, num lance em que Zé Luís assistiu Hugo Vieira, que rematou ao lado.

Mais tarde, na última grande oportunidade do jogo o Nacional fez o 3-1, por Mário Rondon, num belo lance de futebol, com finalização perfeita do avançado venezuelano.v

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.