"Estamos numa sequência de jogos tremenda, mas não me estou a desculpar com nada. Não tem sido fácil. Não estou em condições de fazer poupanças, estou em condições de avaliar os jogadores. Tenho de pensar no jogo de amanhã que é importante e só depois no outro, que também é importante", afirmou Carlos Carvalhal esta tarde, em conferência de imprensa realizada em Alcochete.

O treinador leonino irá no entanto apresentar uma equipa desfalcada de João Moutinho, Pongolle, Izmailov (lesionados), João Pereira e Tiago (castigos). "O João tem estado a jogar com algumas limitações, tem feito um grande esforço e jogado com dores, mas estas neste momento são muito fortes e impedem-no de jogar amanhã. foi tratar de assuntos pessoais. O Izmailov esteve a tratar de assuntos pessoais, mas não está disponível para amanhã, porque está impossibilitado pela parte médica", sublinhou, sem deixar de referir que "Liedson está também em avaliação".

Por outro lado, Carlos Carvalhal evitou abordar o quarto lugar como objectivo para esta época, tal como definiu José Eduardo Bettencourt: "Tenho que olhar para o jogo seguinte e jogar para vencê-lo. Dentro das contrariedades internas e externas não tem sido vida fácil. No Sporting somos obrigados a jogar para ganhar os jogos todos. Não importa traçar metas. Temos de apresentar a melhor equipa impossível".

O treinador mostrou ainda não admitir qualquer 'relaxe' dos jogadores em Olhão. "Estar no Sporting é uma motivação extra. Não podemos relaxar… De forma alguma. Há um sentido de responsabilidade muito grande, não podemos relaxar e temos de ter uma atitude ganhadora e forte contra um adversário incómodo", disse Carvalhal, que voltou a chamar Caneira e Postiga, depois das suas ausências terem sido notadas em Liverpool. Sobre os dois atletas, o técnico deixou elogios e garantiu que conta com eles "a cem por cento".

A contestação a Rui Patrício nas últimas semanas tem sido grande, mas o treinador leonino deixou um voto de confiança ao jovem guardião: "Sair da equipa é uma decisão que diz respeito ao treinador. Se o meto a jogar é porque tenho confiança nele e continuo a manter. É um guarda-redes com grande potencial."

Relativamente ao jogo com o Olhanense, a contar para a 20ª jornada, Carlos Carvalhal assegurou que a equipa estará preparada para "dar uma boa resposta. "Conheço bem o clube, o treinador e o presidente. Sabemos que é um jogo que encerra grande dificuldade. A nossa expectativa é vencer o jogo, sabendo que é um adversário incómodo, que está a atravessar um momento bom e que conseguiu superar uma fase menos boa", observou, apelando ao apoio dos adeptos: "Esperamos ter apoio dos sportinguistas no Algarve."

O técnico defendeu-se ainda de algumas críticas que apontam um excesso de alterações no esquema da equipa. "Não vario assim tanto o esquema. O jogo em Inglaterra encerrava algumas particularidades. Uma equipa teve dois dias para trabalhar o jogo enquanto outra teve sete. As pessoas fazem a sua análise, mas às vezes é como uma pescada de rabo na boca… Joga um jogador e tem de se mexer noutro e por vezes há alguma incongruência nas análises. Na dinâmica que nós queremos temos de fazer escolhas, não podem jogar dois no mesmo sítio", atirou, sem deixar de esclarecer: "O 4x1x3x2  é o nosso sistema preferencial, com o 4x3x3 também como opção."

A finalizar o seu discurso, Carlos Carvalhal criticou ainda o castigo da Liga a João Pereira. "Não achei que a atitude do João fosse tão grave como a do Luisão no jogo com o Nacional, com o mesmo árbitro. Há aqui alguma injustiça", concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.