Beira-Mar, SC Braga, Olympiacos e, agora, Sporting. O percurso profissional em ascensão de Leonardo Jardim reflete não só a sua maturidade, mas também o arriscado desejo de trabalhar no clube do qual sempre foi adepto.

Demasiados treinadores marcaram o passado recente do clube de Alvalade, mas o técnico madeirense não quer ser apenas mais um. Mesmo que a pressão seja enorme.

«Quando aceitei este projeto do Sporting sabia de todo o historial, mas não foi por isso que deixei de o fazer. Não vai ser uma tarefa fácil, mas quem conseguir no Sporting fazer um bom trabalho vai ser valorizado e é nesse espaço que pretendo desenvolver o meu trabalho, criando um Sporting mais forte», afirmou o treinador durante esta pré-temporada.

Os sonhos dos adeptos ávidos de conquistas são também os seus, mas Leonardo Jardim recusou-se a traçar publicamente os objetivos no seu ano de estreia nos leões. «O que vamos atingir não é uma coisa que preocupe neste momento. Tenho 38 anos, o Sporting foi quatro vezes campeão e este ano todos sabem que por problemas inerentes ao passado estamos a reestruturar a equipa de futebol. Mais do que objetivos classificativos queremos ter uma base para uma equipa competitiva», sublinhou.

A curiosidade em torno de um leão renovado é grande, mas o “mistério” em torno da equipa também. «Mais importante do que falar em números é criar um modelo que permita uma dinâmica positiva da equipa, tendo o 4x3x3 como base. Queremos dinâmicas dentro da estrutura para potencializar as caraterísticas dos nossos jogadores», explicou, sem abrir o jogo.

A discrição sobre os casos que marcaram a pré-época leonina foi igualmente uma constante, com uma abordagem prudente à ‘novela Bruma’ e a possível saída de Rui Patrício.

«Não vou falar sobre os jogadores que não estão no plantel. Isso é tarefa da Direção. Se voltar ao plantel será bem recebido, mas não me posso alongar mais sobre esse assunto», comentou o técnico acerca de Bruma, sem deixar de se mostrar esperançado na continuidade de Patrício: «O Rui [Patrício] é um jogador de extrema qualidade, tem mercado e pode existir uma transferência até 31 de agosto. Estamos a trabalhar com ele e temos sempre a esperança que fique».

Para a massa associativa do Sporting, Leonardo Jardim apelou à sua compreensão, sem pedir tempo ou paciência. «Os adeptos do Sporting sabem que o clube vive um momento de grande dificuldade. Reestruturou-se a estrutura do clube e a equipa profissional, mas queremos apresentar uma equipa com boa atitude competitiva», finalizou.

* Apesar de ter sido solicitada, o Sporting não teve disponibilidade para a realização de uma entrevista ao treinador Leonardo Jardim. Como consequência, este trabalho reflete as declarações do treinador ao longo da pré-época.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.