O Benfica não fez melhor que os seus mais directos adversários na corrida e empatou também na primeira jornada do campeonato.

Os encarnados dominaram o encontro do início ao fim mas a verdade é que nem sempre quem controla a partida ganha e foi isso que aconteceu esta noite.

O Benfica entrou de forma decidida na partida com um cabeceamento de David Luiz logo ao 2º minuto. Aos 7 minutos exisitiu um segundo aviso através de um remate forte de Carlos Martins, parado com alguma dificuldade por Peçanha. Ao minuto 18 deu-se a grande oportunidade da primeira parte por intermédio de Aimar. O argentino cobrou um livre à entrada da grande área de forma sublime e a bola beijou a barra da baliza de Peçanha.

A pressão era muita e só a espaços e em contra-ataque a equipa insular chegava à área contrária. A verdade é que num desses lances fortuitos, o Marítimo chegou mesmo ao golo.

David Luiz mete a mão à bola dentro da área e o árbitro assinala de pronto grande penalidade. Alonso cobrou-a de forma magistral e colocou o Marítimo em vantagem, contra a corrente do jogo. O golo desorientou o Benfica que durante os últimos quinze minutos finais da primeira parte não se conseguiu encontrar.

A segunda parte foi mais do mesmo, o Benfica a atacar e o Marítimo a defender. O guarda-redes Peçanha tornava-se aos poucos o herói da partida. Defesas impossíveis seguravam a vantagem dos insulares.

Aos 68 minutos, Jorge Jesus chama Weldon à partida e tira Sidnei. O técnico encarnado decide apertar o cerco aos madeirenses. A verdade é que pouco tempo depois, Saviola recebe a bola dentro da área e é carregado por Miguelito. Artur Soares Dias volta a apontar para a marca de grande penalidade. Cardozo é o escolhido para converter o castigo máximo mas atira de forma denunciada e permite mais uma intervenção de grande nível de Peçanha.

A partida ia-se encaminhando para o fim com muitas oportunidades para o Benfica mas sem a eficácia que se pedia.

Entretanto apareceu a cabeça de Weldon. Fábio Coentrão bateu um livre na direita e Weldon no coração da área diz que sim à bola e faz empate para gáudio dos mais de 54 mil adeptos que estavam no estádio. O jogador brasileiro proveniente do Sport Recife fez aquilo que os outros avançados não conseguiram durante quase toda a partida.

Motivada pelo golo a equipa encarnada massacrou a defesa maritimista mas sem êxito.
Ao fim da primeira jornada, Benfica, Porto e Sporting seguem com um ponto fruto dos três empates alcançados.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.