As nomeações de Artur Soares Dias para as fases finais de Euro2020 e Tóquio2020 constituem um “momento histórico” para a arbitragem portuguesa, disse hoje à agência Lusa o presidente da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF).

Luciano Gonçalves considerou ainda que a nomeação do árbitro da associação do Porto o “reconhecimento pelo trabalho que tem sido realizado ao longo dos últimos anos” e prova que a ausência de juízes portugueses nas grandes competições foi meramente transitória.

“Veio também mostrar que a não presença de árbitros principais nos Europeus e Mundiais não foi mais do que um rejuvenescimento natural dos quadros. Por isso, é um momento muito importante e em que todos os que trabalham à volta da arbitragem devem estar satisfeitos”, frisou o presidente da APAF.

Na quarta-feira, Artur Soares Dias integrou o quadro de árbitros nomeados para a fase final do Euro2020 e também do torneio de futebol dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, eventos adiados para 2021 devido à pandemia de covid-19.

Os assistentes Rui Licínio e Paulo Soares vão acompanhar o árbitro principal português, que em maio de 2016 foi promovido à categoria de elite da UEFA, enquanto João Pinheiro foi escolhido para videoárbitro (VAR) no Europeu e Tiago Martins vai desempenhar as mesmas funções nos Jogos Olímpicos.

As nomeações tratam-se, portanto, de um “reconhecimento da qualidade da arbitragem portuguesa”, segundo Luciano Gonçalves, como atestam também “nos últimos tempos, as nomeações de várias equipas de arbitragem tanto no futebol feminino como no futsal”.

“É óbvio que é de darmos os parabéns e que é um reconhecimento pelo trabalho de excelência que o Artur [Soares Dias] e a sua equipa têm feito, e também o VAR João Pinheiro, sem esquecer o Tiago Martins nos Jogos Olímpicos. É não só um reconhecimento para eles, mas [também] para toda a arbitragem e toda a estrutura”, assumiu o dirigente associativo.

O árbitro da associação do Porto, de 41 anos e internacional desde 2010, vai estar presente no Euro2020, entre 11 de junho e 11 de julho de 2021, e nos Jogos Olímpicos, entre 21 de julho e 06 de agosto.

Estas vão ser a sexta e sétima presenças do árbitro português em grandes competições, depois de ter estado nos Mundiais de sub-20 e sub-17, em 2015 e 2017, respetivamente, na Taça das Confederações e no Mundial de Clubes, também em 2017, e no Mundial de 2018, no qual desempenhou a função de VAR.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.