Di Maria é, incontornavelmente, a figura do jogo. Dos seus pés saíram três dos quatro golos com que o Benfica goleou o Leixões.

Se a primeira parte foi mais equilibrada, com o Leixões a tomar bem conta do meio-campo e a não permitir linhas de passe aos jogadores encarnados, na segunda só se viu Benfica. O primeiro golo ainda surgiu na primeira parte, por Eder Luis, e Di Maria, na segunda bisou, com um segundo golo de se “tirar o chapéu”. O argentino ainda viu um golo limpo ser anulado, por alegado fora de jogo e teve uma perdida incrível ao querer fazer um chapéu a Diego.

Pertenceram aos encarnados as melhores oportunidades de golo, com a primeira a surgir ao minuto quatro. Pontapé de canto batido na esquerda, David Luiz cabeceia uma primeira vez, a bola sobrou para Cardozo que, também de cabeça, acerta no segundo poste.

Só de contra-ataque o Leixões criou perigo. Decorria o minuto 21, quando Seabra fugiu pela direita, cruzou, a defesa do Benfica aliviou mal e a bola sobrou para Fernando Alexandre, que rematou à entrada da área, com a bola a bater num jogador encarnado.

Logo a seguir, um dos momentos desta primeira parte. Di Maria isolou-se, a passe de Cardozo, e introduziu a bola na baliza, mas o árbitro assistente deu a indicação de fora de jogo, quando o argentino estava em posição regular.

Ao minuto 27, Eder Luis inaugurou o marcador. A meio do meio-campo, o brasileiro rematou rasteiro e cruzado para o primeiro do Benfica, com a bola ainda bate num jogador matosinhense.

Quase no final da primeira parte, Maxi Pereira fez falta sobre Antunes e na marcação do livre directo, Quim teve de afastar com os punhos.

Logo aos dois minutos da segunda parte, Di Maria teve uma perdida incrível. Cardozo, tapado por jogadores do Leixões, roda e abre na esquerda para a corrida do argentino que só com Diego pela frente permite a defesa do guardião, ao tentar um chapéu.

Aos 53 minutos, inacreditável, David Luiz após bom passe de Ramires, prefere atrasar do que rematar, Cardozo tenta um primeiro remate para defesa apertada de Diego e na recarga o paraguaio pontapeou por cima.

Numa jogada de insistência de Ramires, aos 59’, a abrir bem na esquerda, Di Maria desta feita não perdoou. O irrequieto argentino entrou na área e rematou para o segundo tento dos encarnados. Diego não sai ileso de culpas deste lance, já que o guardião matosinhense ainda tocou na bola, com esta a passar por entre as mãos.

O total domínio do Benfica permitiu a Carlos Martins, acabado de entrar para o lugar de Eder Luis, fazer o gosto ao pé, num remate bomba, aos 64’, que ainda embateu nas malhas laterais.

Não foi Carlos Martins, foi Di Maria, aos 76’, agora sim, a concretizar de forma impecável um chapéu e a fazer o 3-0. Não contente, e como forma de redenção, a quatro minutos do fim, Di Maria fez o quarto golo, o seu terceiro no encontro.

O Benfica continua líder, com mais um ponto que o Sporting de Braga, que hoje venceu em casa o Olhanense por 3-1, enquanto o Leixões vê cada vez mais longe a manutenção, já não vencendo desde a 16ª ronda, quando o conseguiu no Restelo, ante o último classificado Belenenses.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.