O diretor de comunicação do Sporting, Nuno Saraiva, criticou esta quarta-feira os clubes que permitiram a proibição de fumar na área técnica, e acusou o Benfica de fazer um ataque pessoal a Bruno de Carvalho.

"É uma clara provocação a Bruno de Carvalho", começou por dizer Nuno Saraiva à Sporting TV sobre a proposta apresentada pelo Benfica na última Assembleia Geral da Liga Portuguesa de Futebol Profissional e que foi aprovada com quatro votos a favor e 36 abstenções.

A proposta de alteração ao artigo 136.º-A do Regulamento Disciplinar, apresentada pelo Benfica, define o "uso de expressões ou gestos ameaçadores ou indignos" nas áreas técnicas, descrevendo agora: "revelador de indignidade agravada o ato de fumar na zona técnica, incluindo cigarros eletrónicos, e expelir fumo ou quaisquer outras substâncias, tais como saliva, na direção de dirigentes, jogadores ou quaisquer outros agentes desportivos".

"O Benfica apresentou essa proposta com o alvo definido e contou com o V. Setúbal, o Arouca, curiosamente, e o Famalicão, todos eles conhecidos pela relação de proximidade com o Benfica. Esta é uma alteração ao regulamento de disciplina aprovada por 7 votos e mais de duas dezenas de abstenções, o que é errado. Significa que a esmagadora maioria dos clubes quiseram desta situação absolutamente aberrante e indigna lavar as mãos como Pilatos. Não é sério e corajoso. Os clubes não tiveram coragem, excetuando o FC Porto que votou contra como o Sporting. Parece-me uma indignidade proteger e premiar uma atitude sistemática, reiterada e reincidente de perseguição vil ao Sporting e ao seu presidente", acrescentou Nuno Saraiva.

Já em relação a outros assuntos debatidos na Assembleia Geral (AG) da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, Nuno Saraiva criticou o 'chumbo' dos clubes à proposta do Sporting que previa a punição dos clubes que apoiem claques ilegais.

"O caso do apoio a claques ilegais por parte do Benfica e a ausência de punições para as águias voltou a merecer o repúdio de Saraiva: "É indigno para a própria Liga permitir estas situações. Nesta AG os clubes chumbaram, por muita pressão do Benfica, a obrigatoriedade da legalização das claques. Por isso, percebemos aquilo que é importante para alguns clubes. Sabemos que há um clube que apoia de forma descarada uma claque ilegal e as consequências são ‘peaners’ para o Benfica. O Benfica continua alegre e impunemente a apoiar ilegalmente as suas claques ilegais e ninguém faz nada à exceção do Sporting, que tem vindo ano após ano a denunciar esta situação. Marco Ficcini não é o primeiro caso. Há o do very light. Do que é que as autoridades estão à espera para pôr cobro a isto?", sentenciou Nuno Saraiva.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.