José Torres, ou o Bom Gigante, alcunha pela qual ficou conhecido dada a sua compleição física, é uma das figuras que marcou o seu lugar na história do futebol nacional. Fez carreira no Benfica, entre 1959 e 1971, e ao lado de Eusébio construíram um ataque demolidor, ainda apoiados por Coluna, Simões ou José Augusto. De 1972 a 1975 representou o Vitória de Setúbal.

Antes de chegar ao Benfica, o futebolista iniciou-se no clube da sua terra, Torres Novas, e acabaria a carreira aos 42 anos, em 1980, no Estoril-Praia.

Pela selecção nacional, o Bom Gigante estreou-se a 2 de Janeiro de 1962, frente à Bulgária, jogo que Portugal acabou por perder por 1-0. A par de Coluna, Simões e Eusébio, José Torres fez todos os seis jogos de qualificação e todos os jogos da fase final do Mundial de 1966. A sua carreira ao serviço da equipa das quinas terminou em 1972, a 13 de Outubro, com o mesmo adversário: a Bulgária. Ao serviço da selecção apontou 14 golos.

Como técnico, o Bom Gigante ficou famoso pela célebre frase "deixem-me sonhar", proferida na fase de qualificação para o Mundial de 1986, em que o apuramento era uma realidade em que apenas ele acreditava. Mas parece que ele, ao contrário da maioria, estava certo. No entanto, o também famoso acontecimento em Saltillo acabou por manchar a prestação da selecção nacional.

Ainda como treinador, passou pelo Estrela da Amadora, pelo Boavista e pelo Varzim.

José Torres estava a cinco dias de completar 72 anos, mas a doença acabou por levar a melhor sobre aquele que será conhecido sempre como o Bom Gigante e que nos últimos anos de vida se debateu ainda com graves problemas financeiros.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.