O presidente do Feirense, Rodrigo Nunes, mostrou esta sexta-feira a sua revolta pela situação atual da União de Leiria, último classificado da Liga de futebol, lamentando que o clube que dirige esteja a ser penalizado.

Em conferência de imprensa, Rodrigo Nunes recorda que o Feirense havia já demonstrado a sua preocupação relativamente a situações de incumprimento salarial como a da União de Leiria.

«O Feirense já tinha alertado para aquilo que está a acontecer no futebol português. O nosso clube é o que melhor cumpre as suas obrigações e, inclusivamente, contempla nos seus estatutos o facto de não deixar dívidas», declarou.

O dirigente realça ainda que o Feirense prima por ter as contas em dia, lamentando que continuem a ser permitidos incumprimentos aos clubes.

«O Feirense podia, quer no início da época, quer em janeiro, fazer contratações para sair da posição em que está, mas não o faz porque sabe quais as obrigações a cumprir. Lemos notícias de clubes que devem dinheiro a jogadores e ao fisco, mas continuam a contratar jogadores. Li uma notícia há pouco tempo de um clube que pagou os salários de dezembro. Até pensei que se tratava de um jornal de janeiro, mas não era. Era de 26 de abril», ironizou.

Rodrigo Nunes mostrou ainda o caderno de cheques que serão no sábado entregues aos jogadores, com o salário de abril, recordando que nem todos os clubes têm capacidade para cumprir.

«Agora está toda a gente aflita e até o governo já se pronunciou sobre uma coisa para a qual o Feirense já tinha alertado há muito tempo. Amanhã [sábado] o Feirense vai pagar o mês de abril e nem todos os clubes se podem dar a esse luxo. Isto não são cheques pré-datados nem são acordos com os jogadores. Nunca entrámos em problemas com o fisco, nem em totonegócios. É uma aberração total o Feirense ser penalizado por haver incumpridores», sublinhou.

O presidente do Feirense considera que o problema do União de Leiria não é singular e espera um esclarecimento dos agentes desportivos.

«Não tenho dúvidas que, aconteça que acontecer, o Feirense vai ser sempre prejudicado por situações como esta. Em janeiro voltou a não haver fiscalização aos clubes. Além disso, só agora é que o presidente do Sindicato dos Jogadores começou a falar nisto, quando há mais quatro ou cinco clubes que não cumprem. Devia haver coragem, de uma vez por todas, para se esclarecerem os problemas do futebol português», referiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.