É algo que não acontece desde 2012/2013 e a primeira vez que acontece com um campeonato a 18 equipas. A liga portuguesa 2017/2018 vai arrancar com 18 equipas lideradas por treinadores lusos.

São 18 nomes com carreiras distintas, que procuram deixar a sua marca nas suas respetivas equipas e num campeonato que se espera diferente, com a introdução do vídeo-árbitro.

Época 2012/2013 contou com 16 treinadores portugueses

A última época em que isto aconteceu foi em 2012/2013, no ano em que o FC Porto foi campeão pela segunda vez com Vítor Pereira. Nesta época, Jorge Jesus treinava o Benfica e o Sporting chegou a contar com quatro treinadores, três portugueses e um estrangeiro (Ricardo Sá Pinto, Jesualdo Ferreira, Franky Vercauteren e Oceano.

Esta temporada viu também a ascensão de Paulo Fonseca que, com o Paços de Ferreira, chegou ao terceiro lugar da Liga portuguesa. Uma prestação que lhe viria a garantir a transferência como técnico principal do FC Porto. Atualmente, encontra-se ao serviço do Shakhtar Donetsk.

Também Marco Silva foi um dos destaques da temporada, ao conseguir chegar ao quinto lugar do campeonato e a qualificação para a Liga Europa. Atualmente está ao serviço do Watford.

Quatro clubes mudam de treinador e um em estreia absoluta

A nova temporada vai contar com treinadores novos e novos treinadores. Miguel Cardoso, proveniente do Shakhtar Donestsk, onde era adjunto de Paulo Fonseca, irá estrear-se como treinador principal e logo ao comando técnico do Rio Ave que, na época passada, ficou em sétimo lugar.

Também o Desportivo de Aves, Moreirense, FC Porto e Desportivo de Chaves vão contar com novos técnicos para a próxima época.

No clube de Vila das Aves, Ricardo Soares prepara-se para realizar a sua segunda temporada na principal divisão portuguesa depois de, na época passada, ter treinado o Desportivo de Chaves.

No Moreirense, Petit conseguiu a promoção mas a aposta será em Manuel Machado. O técnico vimaranense prepara-se para assumir um lugar que já foi seu entre 2000 e 2004 e depois de, na temporada passada, ter representado o Nacional da Madeira e o Arouca.

No FC Porto, Sérgio Conceição é o escolhido para que volte a colocar os ‘dragões’ na rota dos títulos. Conta com várias passagens pela Primeira Liga e, na temporada passada, conseguiu uma recuperação fantástica no Nantes, passando do 17º lugar para o 7º lugar da Liga francesa.

Por fim, o Desportivo de Chaves também preferiu mudar de treinador, depois de Ricardo Soares. Luís Castro foi o escolhido e procura consolidar o clube transmontano na liga portuguesa, depois de, na época passada, ter ficado em sétimo lugar com o Rio Ave.

Uma época de chicotadas psicológicas: o que mudou de uma temporada para outra

A temporada passada foi atípica em termos de despedimentos de treinadores. Foram aplicadas 19 ‘chicotadas psicológicas’ em clubes da Primeira Liga, sendo que apenas Benfica, Sporting, FC Porto, Vitória de Guimarães, Vitória de Setúbal e Portimonense não fizeram mudanças de técnicos principais.

No início da temporada, José Peseiro assumiu o comando técnico do SC Braga mas os maus resultados acabaram por resultar no despedimento e na contratação de Jorge Simão, que militava no Desportivo de Chaves. No entanto, o novo técnico não fez melhor e também abandonou o clube bracarense, sendo substituído por Abel Ferreira. Será o mesmo Abel que irá começar a temporada 2017/2018.

No Marítimo, Paulo César Gusmão começou a temporada mas apenas uma vitória em cinco jogos acabou por ditar a saída. Daniel Ramos assumiu o clube insular e fez uma boa temporada, onde garantiu o sexto lugar da prova e o acesso à Liga Europa. A boa temporada que realizou permitiu a permanência de Daniel Ramos para a próxima época.

Já o Rio Ave, começou a época passada com Nuno Capucho mas um início de temporada com três vitórias em 14 jogos ditou a saída. Luís Castro foi o escolhido para assumir o clube e aí ficou até ao final da temporada. No entanto, a proposta do Desportivo de Chaves ditou a saída do técnico e os vilacondenses irão começar a nova época com Miguel Cardoso.

Também o Feirense foi alvo de uma chicotada psicológica. José Mota começou a temporada mas também acabou por sair devido a maus resultados. Nuno Manta Santos foi o escolhido e acabou por levar o Feirense ao oitavo lugar da prova. Na próxima temporada, será Nuno Manta Santos a assumir o clube de Santa Maria da Feira.

A norte, mais concretamente no Boavista, começou-se a época com um técnico estrangeiro. Erwin Sánchez foi o escolhido para assumir os axadrezados mas também ele foi despedido e substituído por Miguel Leal, que também irá assumir o clube boavisteiro na próxima época.

No Estoril Praia, duas danças de cadeiras. A época começou com Fabiano Soares, continuou com Pedro Gómez Carmona e finalizou com Pedro Emanuel. Ao conseguir a manutenção e o décimo lugar da prova, o antigo defesa do FC Porto vai manter-se no clube estorilista.

O Belenenses também contou com três treinadores na mesma época. Júlio Velásquez começou a treinar o clube lisboeta, seguindo-se de Quim Machado e depois Domingos Paciência. O antigo jogador do FC Porto e antigo técnico do Sporting vai começar o novo ano com o clube da Cruz de Cristo.

O Moreirense, por outro lado, foi o clube que mais mudanças fez de treinador na época passada. Começou com Pepa, seguiu-se Leandro Mendes, Augusto Inácio e terminou a época com Petit, com o antigo médio do Benfica a conseguir a manutenção. No entanto, a escolha de treinador para a próxima época é Manuel Machado.

No Tondela, houve mudança de técnicos que até passaram pelo Moreirense. Depois de começar a época com Petit, acabou por ser Pepa a assumir o clube tondelense e a conseguir garantir a manutenção.

Quanto aos clubes que subiram, o Desportivo de Aves começou com José Mota mas quem vai treinar na Primeira Liga será Ricardo Soares.

Vasco Seabra é o treinador mais novo, Vítor Oliveira o mais velho

As diferenças de idade e experiência também estão presentes nos 18 treinadores que vão assumir os clubes da primeira liga. Vasco Seabra, de 33 anos, volta a assumir o comando técnico do Paços de Ferreira, depois de se ter estreado na primeira liga na época passada, ao serviço dos pacenses.

Do outro lado do espectro, um técnico habituado a subidas mas não a subir. Vítor Oliveira tem 63 anos e vai subir com o Portimonense ao campeonato nacional, depois de cinco épocas onde foi responsável pela subida de divisão de Arouca, Moreirense, União da Madeira, Desportivo de Chaves e o próprio Portimonense.

Do lado dos três ‘grandes’, Sérgio Conceição é o mais novo e Jorge Jesus o mais experiente. O novo técnico do FC Porto tem 42 anos e cinco anos de competição no principal escalão de futebol português. Segue-se Rui Vitória, com 47 anos e sete anos de “Primeira Liga”. De seguida temos Jorge Jesus, com 62 anos, e 19 anos de experiência na principal liga de Portugal.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.