Vai ser, certamente, um dos motivos de maior interesse desta I Liga 2020/21 que agora arranca e um dos pontos que os adeptos seguirão com maior expectativa: como se vão portar os ilustres regressados ao nosso campeonato?

É que este vai ser, sem dúvida, o 'campeonato dos regressos'. Não só a nível de jogadores - alguns deles anunciados com pompa e circunstância, como Gaitán ou Ricardo Quaresma - mas também nos bancos, ao leme das equipas - aqui, claro, destaca-se Jorge Jesus, mas não só...

Saiba mais sobre o arranque da I Liga 2020/21

Gaitán chegou de avião para dar asas ao sonho do Braga

Num Sp.Braga que há muito se tenta afirmar como um 'grande' do futebol português, a chegada de um jogador como Nico Gaitán, apresentado pelos minhotos como uma autêntica estrela de Hollywood, é mais um passo rumo a esse caminho. Aos 32 anos, o internacional argentino volta a Portugal depois de uma época de 2019/20 em que disputou apenas quatro jogos pelo Lille. E essa será talvez a principal questão deste(s) regresso(s). Em que condição estarão, afinal, estes jogadores, já em fase final de carreira? Gaitán, por exemplo, já vai falhar, devido a lesão, o arranque da I Liga.

Mas, colocando de parte essa questão, para um clube como o Sp.Braga será sempre motivo de afirmação e orgulho contar no plantel com alguém com o palmarés de Gaitán. Em Portugal, ao serviço do Benfica, que representou durante seis épocas, entre 2010 e 2016, o argentino disputou 253 jogos, marcou 41 golos e conquistou, na mais, nada menos do que 3 títulos de campeão, 5 Taças da Liga, 1 Taça de Portugal e uma Super Taça.

Depois rumou ao Atlético de Madrid, onde ainda ajudou o clube a conquistar uma Liga Europa, mas perdeu espaço na segunda temporada em Espanha e seguiu primeiro para a China e depois para a MLS, antes de aterrar em Lille e, agora, em Braga, onde os adeptos arsenalistas esperam ainda ter oportunidade de ver alguns momentos da magia que 'El Mago' Gaitán espalhou pelos relvados portugueses na sua primeira passagem pela I Liga.

'Rei' Quaresma à conquista de Guimarães

Magia é também o que se espera ver dos pés de Ricardo Quaresma em Guimarães. Os vimaranenses não quiseram ficar atrás do rival minhoto e trouxeram de volta ao nosso país um dos melhores jogadores portugueses do século XXI. O novo 'Rei' da 'Cidade-berço' foi apresentado com uma produção em vídeo ao nível dos melhores clubes do mundo e jurou fidelidade aos vimaranenses, comprometendo-se a ficar no clube até ao final da carreira.

Aos 36 anos não faltará, talvez, muito para que tal aconteça, mas o simples facto de o V.Guimarães ter conseguido garantir o concurso de alguém com a projeção de Quaresma é por si só assinalável e colocou os 'conquistadores' nas bocas do mundo.

Quaresma volta a Portugal seis épocas depois de terminada a sua segunda passagem pelo FC Porto, todas elas passadas na Turquia, ao serviço de Besiktas e Kasimpasa, por quem assinou quatro golos em 26 jogos na última temporada. Em Portugal, o V.Guimarães será o terceiro clube de Quaresma, depois do Sporting - onde marcou 10 golos em 74 jogos e conquistou um título de campeão - e do FC Porto - por quem totalizou 50 golos em 225 jogos, sagrando-se três vezes campeão nacional.

No estrangeiro representou também Barcelona, Chelsea, Inter e Al Ahli e no currículo conta ainda dois títulos da Serie A, duas Ligas turcas e uma Taça de Inglaterra, entre vários outros troféus, para além dos feitos ao serviço da seleção de Portugal, à qual até poderá voltar caso consiga mostrar em Guimarães mais momentos daqueles a que foi habituando os adeptos ao longo dos anos.

Javí Garcia, o surpreendente reforço do Boavista

Entre as chegadas de Gaitán a Braga e de Quaresma a Guimarães, outro antigo campeão nacional regressou, vários anos depois, a Portugal. Com o capital reforçado pela entrada de um novo investidor, o Boavista parece, esta época, apostado em dar os primeiros passos para regressar aos tempos de glória que viveu no final do século XX e início do século XXI. E que melhor maneira de vincar essas intenções do que apresentar um jogador com o currículo de Javi Garcia?

O médio defensivo espanhol brilhou com a camisola do Benfica entre 2009 e 2012, apontando 14 golos em 132 jogos pelas 'águias', por quem conquistou um título de campeão e três Taças da Liga. Chega ao Bessa depois de passagens por Manchester City, Zenit e Bétis, por quem em 2019/20 só disputou, contudo, seis jogos no conjunto de todas as competições, pelo que, tal como em relação ao seu antigo colega Gaitán, existirão algumas dúvidas sobre em que condição física se encontra neste regresso a terras lusas.

Nos bancos Jorge Jesus está de volta, mas também há o regresso de Tiago Mendes a Portugal, agora como treinador

Mas não é só dentro de campo que há lugar a regressos. Também nos bancos, como treinador, há quem esteja de volta. E, aí, o destaque vai, naturalmente, para Jorge Jesus. Sete épocas depois de deixar, de forma polémica, o comando técnico do clube da Luz  e assumir o leme do rival Sporting, Jesus está de volta ao clube onde conquistou 3 Ligas portuguesas, 1 Taça de Portugal, 1 Super Taça e 5 Taças da Liga, atingindo ainda duas finais da Liga Europa.

Um regresso que dividiu opiniões entre os adeptos da Luz e que aconteceu depois de um ano de ouro do técnico no Brasil, ao leme do Flamengo, onde enriqueceu ainda mais o seu currículo. A expectativa é grande, entre os que o veneram e apontam a mais sucessos, e os que, pelo contrário, não acreditarão que Jesus consiga repetir os êxitos que logrou na sua primeira passagem pelos 'encarnados'.

No que a treinadores diz respeito, há outro regresso a assinalar, embora seja para fazer a sua estreia como treinador principal: o antigo internacional português Tiago Mendes. Eleito, com alguma surpresa, para assumir o leme de um V.Guimarães que aposta forte nesta temporada, o antigo médio vai ter um desafio de respeito. Mas, para alguém que vestiu por 66 vezes a camisola da seleção nacional e que, enquanto jogador, foi orientado por técnicos como José Mourinho, Claudio Ranieiri ou Diego Simeone, de quem chegou até a ser adjunto no Atlético de Madrid, não será certamente um desafio difícil de superar

Talvez menos sonantes, mas ainda há mais regressos...

Continuando no mundo dos treinadores, há ainda outro regresso que poderá ter passado despercebido a alguns. Pako Ayestarán vai, esta época, orientar o Tondela, 11 épocas depois de ter trabalho no Benfica como adjunto de Quique Flores.

E, dentro de campo, também vários outros jogadores vão voltar depois de aventuras no estrangeiro: Antunes está de regresso para representar o Sporting, depois de 10 épocas 'lá fora', entre Espanha e Ucrânia, enquanto o Sp.Braga, para além de Gaitán, também trouxe de volta ao nosso país os emigrantes Iuri Medeiros e André Castro.

Mas ainda há mais: Bruno Jordão, emprestado pelo Wolveramphton ao Famalicão, Talocha, que vai representar o Gil Vicente depois de duas temporadas fora de portas, ou Salvador Agra, que chega para o Tondela, são apenas mais alguns entre vários outros nomes que vão voltar a agraciar a I Liga. Vai, definitivamente, ser uma temporada de regressos...

Saiba mais sobre o arranque da I Liga 2020/21

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.