O presidente da MEO, Paulo Neves, e o diretor executtivo da NOS, Miguel Almeida, realçaram hoje a importância de os operadores de televisão terem chegado a acordo no acesso de todos aos conteúdos desportivos.

Num ano em que os clubes de futebol tinham chegado a acordo com distintos operadores para a transmissão dos seus jogos de futebol, o que poderia colocar em causa a possibilidade de os seus jogos caseiros passarem em todos os operadores, como sucede atualmente, este acordo entre as quatro plataformas vem colocar um ponto final na questão.

Enquanto alguns contratos fossem apenas entrar em vigor mais tarde, casos do FC Porto e do Sporting, que tinham assinado com a MEO e a NOS a partir de 2018, o Benfica tinha já acordo com a NOS para 2016, num ano em que terminava o seu contrato com a MEO, o que poderia inviabilizar a transmissão televivisa dos seus jogos.

"É com satisfação que anunciamos este acordo, baseado no princípio da não exclusividade, que beneficia os clientes portugueses, independentemente do seu operador, dando acesso aos conteúdos desportivos que todos consideram essenciais. A MEO e o Grupo Altice acreditam que este acordo de partilha é feito no melhor interesse dos portugueses”, disse o presidente da MEO, em comunicado enviado à agência Lusa.

Também Miguel Almeida destacou o acordo agora alcançado: "Este acordo é o derradeiro passo na concretização do compromisso que assumimos, desde o primeiro momento, em assegurar condições para que os conteúdos desportivos estivessem disponíveis para todos os operadores."

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.