Nuno Gomes não encontra explicação para as poucas vezes que foi chamado a campo por Jorge Jesus na temporada passada. Em entrevista ao jornal Record, explica a forma como o técnico via os seus golos.

«Havia sempre teoria para os meus golos:se entrava a 10 minutos do fim e marcava, ou era porque tinha sorte ou porque os adversários já estavam cansados», lembra Nuno Gomes

O avançado confessa que «não ficava contente com isso», mas entendeu que «não deveria ir lá bater à porta para perguntar por que razão é que não jogava mais tempo». Para esta atitude do treinador, Nuno Gomes só vê uma explicação: «Porque Jesus é um homem de convicções fortes e é-lhe difícil mudar aquilo que pensa».

Ainda assim, assume que respeitou sempre «as opções porque é o treinador que escolhe».

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.