O Sporting garantiu hoje que termina uma caminhada histórica com o 'caneco' no museu do clube, o 19.º da história do emblema de Alvalade.

A caminhada (que ainda não terminou) teve vários registos históricos a serem derrubados sob o comando de Rúben Amorim, mas o obreiro de título pode não ficar por aqui, existindo ainda hipótese de bater um recorde de... Jorge Jesus.

Invencibilidade

Com a vitória da semana passada em Vila do Conde, frente ao Rio Ave, o Sporting bateu o recorde de invencibilidade da história da Primeira Liga, somando 31 jogos consecutivos sem perder dentro de uma só época.

O título do Sporting em imagens
Na 31ª ronda, os leões foram até Vila do Conde vencer o Rio Ave por 2-0. Pedro Gonçalves e Paulinho marcaram os golos que colocaram o Sporting ainda mais perto do título, principalmente depois do empate entre Benfica e FC Porto na mesma jornada.

Os leões de Rúben Amorim somaram, até à passada quarta-feira, 24 vitórias e sete empates, alcançando algo nunca registado por uma equipa num campeonato com mais de 30 jornadas.

Sporting bate recorde de invencibilidade na I Liga
Sporting bate recorde de invencibilidade na I Liga
Ver artigo

Com mais de 30 rondas, o recorde era o FC Porto de 1987/1988, que só perdeu à 29 jornada.

Toda a análise no Especial Sporting Campeão 2020/2021

Os leões podem fazer (ainda) mais história: se completarem o campeonato sem derrotas, serão a primeira equipa na história da competição a terminar um campeonato com mais de 30 jornadas sem perder qualquer jogo.

Além dos registos de toda a Primeira Liga, Rúben Amorim aproveitou ainda para derrubar alguns recordes da história dos leões.

O técnico tornou-se no primeiro na história do clube a completar as 31 primeiras jornadas da I Liga sem derrotas, ultrapassando o anterior registo que vinha de 1981/1982, quando o Sporting de Malcolm Allison só perdeu à 22.ª jornada.

Além disto, os leões de Amorim tornaram-se donos do melhor registo de vitórias consecutivas da história do clube, ultrapassando os 29 jogos sem perder divididos pelas temporadas de 1969/1970 e 1970/1971, sob o comando de Fernando Vaz.

Ainda assim, o Sporting ainda está longe do recorde absoluto de invencibilidade de uma equipa portuguesa na I Liga: o Benfica esteve 56 jogos sem perder entre 1976/1977 e 1978/1979 e o FC Porto não provou o sabor da derrota em 55 jogos consecutivos entre 2009/2010 e 2011/2012.

Para bater os dois recordes, os ‘leões’ teriam de acabar a presente temporada sem derrotas e, depois, não perder em nenhuma das primeiros 22 rondas do campeonato de 2021/22.

Pontos

O Sporting 'virou' a Primeira Liga batendo mais um recorde, alcançando o máximo absoluto de pontos alcançado pelos leões nas primeiras 17 jornadas da Primeira Liga, somando 45 pontos, mais um que o recorde anterior, registado pelo Sporting de Jorge Jesus em 2015/2016.

Esta foi, de resto, a melhor primeira volta do Sporting em 70 anos, com o melhor registo de pontos (convertendo as vitórias para três pontos) e de vitórias.

Desde que as vitórias passaram a valer três pontos, as melhores marcas do Sporting eram os 44 de 2015/16 (14 vitórias dois empates e uma derrotas), seguidos dos 43 de 2017/18 (13 triunfos e quatro igualdades), também com o atual treinador do Benfica ao comando.

Damos um passo atrás e olhamos para uma imagem mais geral de todo o campeonato, onde os recordes também foram feitos para serem batidos, como a equipa de Rúben Amorim tem mostrado ao longo da época.

À 27.ª jornada, depois da vitória em Faro, o Sporting alcançou o seu melhor registo de sempre na Primeira Liga após 27 partidas: foram 69 pontos, mais dois do que o registo máximo anterior de 67 em 1979/1980.

O título do Sporting em imagens
Os festejos de Pedro Gonçalves depois do golo marcado frente ao Farense, em Faro. créditos: © 2021 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.

Mas olhando mais para a frente, os recordes podem não ficar por aqui: com três jogos para o final do campeonato e 79 pontos no bolso, o Sporting pode ainda ultrapassar o máximo de pontos alcançados pelo clube numa época e igualar o recorde nacional dos campeões com mais pontos.

O recorde do clube são os 86 pontos registados pelo Sporting de Jorge Jesus em 2015/2016, que não chegou para o título de campeão, uma vez que o Benfica de Rui Vitória somou mais dois pontos e igualou o recorde nacional de pontos numa época: os 88 pontos que já tinham sido alcançados pelo FC Porto na conquista de 2017/2018.

Contas feitas, para bater o recorde do clube, o Sporting precisa de somar vitórias frente a Boavista, Benfica e Marítimo para somar mais nove pontos e alcançar os 88 pontos e completar um trio de recordistas.

Melhores números a nível pessoal

Se é certo que o que interessa numa equipa é o coletivo, quando a nível individual os registos melhoram, a equipa beneficia com isso. E olhando aos golos marcados, o Sporting beneficiou do facto dos seus jogadores estarem a realizar as suas melhores épocas.

Começamos desde logo pelo melhor marcador da equipa. Até à chegada a Alvalade, o melhor registo de Pedro Gonçalves numa época tinha sido os sete golos marcados na época passada ao serviço do Famalicão. Esta época não só dobrou essa marca, como ainda lhes acrescentou quatro golos, somando, à 31.ª jornada, 18 golos marcados.

Também Jovane Cabral, melhor marcador da equipa, melhorou os seus números face à época transata, apontando oito golos em 25 partidas, mais dois do que em 2019/2020.

Apesar dos 30 anos, Coates prova que a idade é só um número. O muitas vezes bombeiro de serviço apontou sete golos até ao final da 31.ª jornada, um máximo pessoal numa época. Nuno Santos (sete) e Pedro Porro (quatro) foram outros dos que registaram um máximo pessoal no que aos golos marcados diz respeito.

No capítulo dos golos sofridos, o guardião da baliza leonina também alcançou o seu melhor registo: numa António Adán tinha sofrido tão poucos golos numa época em que realizou mais de 20 partidas.

Sporting vs Gil Vicente
Antonio Adán sai perante a aproximação de Ruben Fernando e Samuel Lino durante o Sporting-Gil Vicente. ANTONIO COTRIM/LUSA créditos: © 2020 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.

O espanhol de 33 anos, que foi fulcral em algumas partidas para que o Sporting arrecadasse pontos, sofreu (à 31.ª jornada) 20 golos em 35 jogos realizados em todas as competições, uma média de 0,57 golos sofridos por jogo.

O melhor registo de Adán eram os 35 golos sofridos em 40 jogos ao serviço do Bétis em 2014/2015, na Segunda Divisão espanhola, uma média de 0,8 golos sofridos por jogo.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.