“Para mim, o mais importante no Vizela é que é uma equipa que saltou duas categorias nos últimos dois anos, que mantém o plantel e o treinador e, o mais importante, é a confiança que isso dá”, considerou o técnico da equipa ‘beirã’.

Em conferência de imprensa de antevisão ao jogo com o Vizela, no sábado, às 15:30, no Estádio Capital do Móvel, em Paços de Ferreira, o treinador espanhol defendeu que “a convicção numa equipa é o mais importante”.

“É a convicção de como fazes as coisas. Podes jogar com mais combinações ou mais transições, no teu campo ou no do rival, mas quando fazes as coisas com convicção é uma enorme vantagem e creio que essa qualidade o Vizela tem-na. Tem identidade e é uma equipa pró-ativa”, destacou.

Pako Ayestarán acrescentou ainda que “é um grupo de indivíduos com um objetivo comum, que faz as coisas de uma determinada forma” e, tudo isto junto, torna o Vizela “uma equipa muito complicada e muito difícil”.

Equipas como o Vizela e o Tondela, que “são do mesmo grupo”, têm presente que, ao longo de toda a época, vão “enfrentar adversidades” e, neste sentido, desvalorizou a vitória na primeira jornada.

“Ganhámos o primeiro jogo e jogámos bem, mas isso não assegura nada. É outro jogo, uma história diferente, partimos novamente do zero e vamos ter uma equipa muito difícil pela frente”, disse.

Sobre o Tondela, o treinador elogiou a capacidade de “saber acolher muito bem os novos jogadores” na equipa e, ao longo desta semana de trabalho, encontrou “20 jogadores que estão a treinar bem, concentrados, intensos e com a máxima responsabilidade”.

Neste sentido, adiantou que tem opções e conta “com todos” para enfrentar o Vizela, apesar de sublinhar que “há jogadores que levam mais vantagem, porque têm muito mais treinos que outros que chegaram há pouco tempo”.

Pako Ayestarán realçou ainda que, em campo, tem de se “encontrar o equilíbrio e dar resposta às qualidades que têm os jogadores”, afinal, defendeu o técnico principal, “quem define o estilo de jogo são mais os jogadores que o próprio treinador”.

“O que tenho de fazer é perceber quais são as suas qualidades e conseguir o melhor deles”, assumiu Pako Ayestarán que elogiou a forma como, no início da pré-época, “assumiram os treinos com 10 jogadores e só um central e ainda assim acreditavam que podiam ser competitivos” e “isso é que é fundamental”.

O Tondela, que está na terceira posição da tabela classificativa, com três pontos, vai a Paços de Ferreira, ao Estádio Capital do Móvel, enfrentar o Vizela, que está em 17º lugar, ainda sem pontuar, com arbitragem de Manuel Oliveira, da Associação de Futebol do Porto.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.