O treinador do Sporting afirmou hoje que a goleada ao Levski Sófia ajuda a equipa a “trabalhar com um sorriso nos lábios”, mas pediu concentração e empenho para vencer segunda-feira o Beira Mar, na Liga de futebol.

“Foi uma óptima vitória (5-0), que moraliza e ajuda a trabalhar com um sorriso no rosto, o que também é bastante positivo, mas foram apenas três pontos nessa competição (Liga Europa). Agora, vamos ter que estar ligados a outro jogo, com dificuldades.

Vamos ter que ser uma equipa concentrada e empenhada em busca do resultado que nos interessa, que só pode passar pelos três pontos”, disse Paulo Sérgio.

Em conferência de imprensa, o técnico dos “leões” elogiou o treinador do Beira-mar, Leonardo Jardim, lembrando que foi campeão em duas épocas por equipas diferentes, e referiu que a sua equipa vai enfrentar dificuldades em Aveiro.

“Não é um treinador qualquer, foi campeão em duas equipas diferentes. Tem uma equipa organizada, com bons princípios de jogo e com um futebol positivo. Não vou para Aveiro à espera de facilidades, mas confiante e motivado, acreditando naquilo que seremos capazes de fazer”, salientou

O técnico não quis revelar se iria fazer alterações na equipa que venceu quinta-feira para a Liga Europa, apenas anunciando que Valdés está recuperado e que o central Nuno André Coelho deve regressar ao trabalho na próxima semana.

Sobre Liedson, que saiu ao intervalo no jogo com o Nacional e que com o Levski não saiu do banco, Paulo Sérgio defendeu que deu oportunidade a outros jogadores, numa altura em que a relação do camisola 31 com a baliza não tem sido a melhor.

“Não tem problemas físicos, a relação com a baliza é que não está a ser a mais feliz. Num grupo em que existe concorrência para o lugar, quando um não está a ser feliz e não damos oportunidade aos outros, o que é que eles estão cá a fazer”, questionou.

Paulo Sérgio acrescentou que apesar de outros jogadores estarem a ter oportunidades, acredita que Liedson ainda vai “ajustar bastante o grupo de trabalho” e manifestou confiança em que o avançado atinja o nível a que habituou os adeptos.

Em relação a Digo Salomão, que esteve em destaque nas partidas da Liga Europa, o técnico não quer ver o jovem médio com demasiada pressão.

“Na altura disse que uma precipitação com um jovem pode acabar com um jovem em vez de o lançar. O Salomão de hoje é muito superior ao de um mês atrás e vai ser muito melhor daqui a um mês, mas é cedo para lhe colocarmos muita responsabilidade nos ombros”, referiu.

A terminar, Paulo Sérgio defendeu que a chamada dos jogadores do seu plantel à selecção nacional é “fruto e mérito” do seu trabalho, abrindo a porta a outras possíveis chamadas, como o caso de Maniche.

“Outros que não foram chamados têm que trabalhar pois ainda podem dar muito à selecção, quer no caso de uns que tem ido menos vezes, quer no caso Maniche, que foi um figura da selecção e agora não tem ido, mas acredito que num futuro próximo também poderá ser uma boa solução”, concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.