O treinador do Portimonense disse hoje que a sua equipa sente “dores de crescimento” e precisa de ser mais concentrada e agressiva sem bola no sábado, em Arouca, para somar os primeiros pontos na I Liga portuguesa de futebol.

“Obviamente, estamos bastante desiludidos com os resultados conseguidos, mas há muita coisa que explica tudo isso. São dores de crescimento e temos de crescer depressa. Esperamos estar mais competitivos nesta jornada”, disse Paulo Sérgio, na antevisão à partida da terceira ronda.

O Portimonense regista duas derrotas em dois jogos, frente a Gil Vicente (5-0) e Boavista (4-1), com apenas um golo marcado contra nove sofridos.

“Não é com uma explicação simples que se justificam dois resultados tão pesados. No último jogo, em dois remates, o Boavista estava a ganhar 3-0, e nós até entrámos bem. Mas, depois do resultado anterior, em dois remates ficar a perder 3-0, a equipa teve que ter personalidade e estaleca para conseguir voltar ao jogo e fazer a segunda parte que fez. Nem tudo foi mau”, frisou Paulo Sérgio.

Frente ao Arouca, o técnico do Portimonense pediu aos seus jogadores que estejam “mais concentrados e mais agressivos sem bola”, porque, com bola, fizeram “coisas muito interessantes” nas duas anteriores partidas.

“Não pode ser tão fácil fazer um golo ao Portimonense. Quando assim é, depois correr atrás do resultado é sempre muito mais difícil”, referiu, sublinhando que “não há tempo a perder” e que é preciso “melhorar bastante ao nível de atitude competitiva”.

O treinador dos algarvios abordou ainda a estreia absoluta na Liga de dois jovens jogadores na receção ao Boavista: o central Alcobia, que “não cometeu um erro o jogo todo”, e o extremo Hélio Varela, que “animou bastante a partida”.

Paulo Sérgio deixou muitos elogios para o Arouca, que considerou “um adversário de grande valor, que se reforçou muito bem e trouxe novos jogadores ao campeonato, que têm muita qualidade, além daqueles que já tinham”.

A SAD algarvia mexeu-se no mercado durante a semana, garantindo os médios Dener e Dennis Adeniran, dois elementos que, segundo o técnico do Portimonense, “aportam valor”.

“O Dener é uma cara conhecida, traz experiência, qualidade, mais uns centímetros nos lances de bola parada. O Dennis é um jogador fundamentalmente físico e muito combativo”, comentou.

O Arouca, que soma quatro pontos, recebe o Portimonense no sábado, às 15:30, no Estádio Municipal de Arouca, em jogo que será arbitrado por Carlos Macedo, da Associação de Futebol de Braga.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.