Paulo Sérgio não explicou, no entanto, as razões da revelação antecipada da equipa que vai jogar, contrariando o que tem sido prática, e foi enigmático em relação às suas escolhas.

"Já fiquei mais satisfeito com a exibição da equipa em jogos que não ganhámos, mas onde fomos globalmente mais competentes. Em Setúbal, criámos mais oportunidades de golo, mas também cometemos dois ou três erros infantis a que já não estávamos habituados e que não podemos repetir frente ao Benfica", disse.

O técnico da formação nortenha disse também não estar "minimamente preocupado" com o Benfica - "É uma equipa competente que não necessita que me junte ao coro nacional para falar do seu valor ou do seu arranque na Liga" - e prometeu "jogar olho no olho" na segunda-feira.

"Prometo jogar palmo a palmo com o Benfica, mas se isso não acontecer terá de ser por mérito do adversário. Terá de ser ele (Benfica) a obrigar-nos", sublinhou Paulo Sérgio, que ainda não pode contar com os lesionados Filipe Anunciação, Kelly e Paulo Sousa, os únicos impedimentos da equipa.

Para o jogo de segunda-feira, o Paços de Ferreira irá jogar com Cássio, Danielson, Ozeia, Ricardo, Manuel José, Jorginho, Leonel Olímpio, Baiano, Maykon, Leandrinho e Ciel, numa equipa que volta a não incluir Pedrinha, Cristiano ou William, nomeadamente, na equipa inicial.

O Paços de Ferreira, oitavo da Liga, com sete pontos, recebe segunda-feira o Benfica, segundo classificado, com 16 pontos, pelas 20:15, no jogo que encerra a sétima ronda e que terá arbitragem de João Ferreira, de Setúbal.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.