“Se avaliarmos o jogo pela parte em que o Olhanense o controlou pode ser justo, mas pelo número de oportunidades que criámos, diria que não”, afirmou Paulo Sérgio.

O técnico considerou que, a meio da segunda parte, o Vitória “deixou de ser equipa. Os jogadores passaram a correr um de cada vez, a defender de forma desorganizada, mas, mesmo assim, com oportunidades muito boas para matar o jogo”, lamentou.

Ainda sem ver na televisão o lance que dá origem à grande penalidade e ao empate do Olhanense, Paulo Sérgio afirmou que, pelo que lhe transmitiram, “aceita-se a decisão” do árbitro, Olegário Benquerença.

“Cometemos um erro, que se pagou muito caro. Deixámos fugir dois pontos, que nos davam outro conforto, e perdemos excelente oportunidade para fugir dos nossos mais directos adversários”, reconheceu.

O treinador criticou ainda a atitude de Roberto, que foi expulso já depois do apito final: “Temos de ter cabeça fria naqueles momentos e não fragilizar o grupo com uma atitude menos pensada”.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.