O treinador do Paços de Ferreira defendeu hoje que a chave do jogo com o Boavista poderá passar pelo "equilíbrio emocional" das equipas, reconhecendo que "os pontos estão cada vez mais caros" na I Liga de futebol.

Pepa, que falava na antevisão ao jogo da 27.ª jornada, na sexta-feira, começou por reconhecer "muita ansiedade" da parte dos jogadores por voltarem a jogar, "depois da frustração do último jogo" (derrota diante do Benfica, por 5-0), e poderem retomar "a alegria constante", conforme o "ADN do Paços", frente a uma "equipa que tem tido alma e coração".

"Não é fácil jogar com menos um e isso tem acontecido [com o Boavista], mas têm mantido equilíbrio emocional. Não vejo uma equipa desesperada, longe disso, sabe o que quer e está bem orientada. Quando as individualidades estão ao serviço do coletivo, torna-se muito competitiva", disse Pepa.

Para o técnico pacense, será necessário "critério com e sem bola" no estádio do Bessa, mas também "tranquilidade e muita inteligência dentro de campo", tendo em conta que faltam menos jornadas para o fim do campeonato.

"Dependemos de nós, e temos de estar ao nosso nível, mas os pontos cada vez ficam mais caros. Os níveis de concentração e de nervosismo aumentam. A [equipa] mais equilibrada em termos emocionais vai levar os seus objetivos avante", sublinhou.

Pepa recusou a ideia de que as duas derrotas consecutivas do Paços (frente a Famalicão e Benfica) possam pesar no grupo de trabalho, dizendo existir "humildade para perceber o momento que foi e contra quem foi", insistindo na vontade de que chegue depressa o jogo com o Boavista, deixando uma referência especial ao seu técnico.

"O nosso jogo com o Boavista marcou a estreia do professor Jesualdo Ferreira, uma pessoa que dispensa apresentações, inteligente, competente, alguém que conseguiu fazer o Boavista crescer em termos individuais e coletivos. É uma equipa muito aguerrida e competente, sabemos o que vamos encontrar e vamos olhar para o jogo como se fosse uma final", afirmou.

Eustáquio, expulso frente ao Benfica, abre espaço à estreia no ‘onze' do espanhol Martín Calderón, Tanque, Luther Singh e João Pedro, por razões distintas, voltam a ser opções e aumentam o leque de escolhas para o ataque. Pepa admitiu mudanças, precisando que, "acima de tudo, a confiança é total em todos".

Diaby e Marco Baixinho, por lesão, são os jogadores que ficam de fora dos eleitos para o jogo de abertura da 26.ª jornada.

O Paços de Ferreira, destacado no quinto lugar, com 44 pontos, defronta o Boavista, 15.º, no limite da permanência, com 25, no estádio do Bessa, na sexta-feira, às 18:45, num jogo que terá arbitragem de Tiago Martins, da associação de Lisboa.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.