Pepa, treinador do Tondela, feliz pelo triunfo do Tondela sobre o V. Guimarães.

"Foi um jogo intenso, um jogo bom. O Vitória teve dificuldade em encontrar espaços. Encurtámos o espaço. Fomos controlando na primeira parte, depois, na segunda parte, sabíamos que podíamos a qualquer momento fazer golo. Fizemos de penálti, podíamos ter feito mais, mas como o Vitória também podia ter feito. Ganhar aqui, nesta casa, a um clube especial, com adeptos especiais, com um treinador que admiro muito por vir debaixo, com bons jogadores, é especial. Chegar aqui, jogar olhos nos olhos e ganhar é a prenda que podíamos dar e a melhor resposta ao que aconteceu na semana passada (derrota com o Benfica, por 5-1).

Resultado frente ao Benfica

"A semana não foi atípica, atípico foi o jogo da semana passada. Fui o primeiro a criticar o que aconteceu, a resposta tinha de ser dada, não com palavras, mas com atos. Quem é que não tem um dia mau? Falei um minuto sobre isso, depois, nos jornais, dizem que respondi ao Sérgio Conceição (treinador do FC Porto). O que ele disse foi normal, ficámos todos tristes.

Estávamos com dificuldades [aquando da substituição de Pedro Nuno por Wagner, na segunda parte]. O Victor Garcia estava a desequilibrar muito bem pelo lado direito. O Murilo é um miúdo, está a crescer, e estávamos com dificuldades por aquele lado. O Murilo ficou no meio e acabou por ganhar um penálti nessa situação."

Mercado

"Não temos tempo para estar a pensar no que está à frente. Temos é de pensar jogo a jogo, no dia a dia. Temos é de pensar nos jogos em casa, nas duas finalíssimas que temos pela frente, com o Vitória de Setúbal e com o Feirense. Ter 18 pontos nesta altura é muito bom. Deveríamos ter mais, mas isto é muito competitivo e muito difícil".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.