Os Dragões de Ouro foram lançados em 1985, já sob a presidência de Pinto da Costa, que entregou 14 prémios este ano, numa cerimónia em formato reduzido e com um leque restrito de convidados, devido às limitações impostas pela pandemia de covid-19.

"É um momento para mim de grande dificuldade, de muita emoção, mas no qual não vou fazer nenhum discurso. Vou simplesmente deixar sair da minha alma e do meu coração o que sinto. Diz o poema 'O Infante' que Deus quer, o Homem sonha e a obra nasce. Deus quis, contra as minhas ambições, que em 1982 me tornasse o 31.º presidente do FC Porto. Então o Homem que foi escolhido para tal sonhou. Sonhou que este clube havia de ser campeão em todas as modalidades, que havia de ir a uma final europeia, que havia de ter um centro de treinos, que havia de ter o melhor museu de troféus do mundo e que, quando deixasse o cargo, deixasse todos no clube unidos à volta do símbolo do FC Porto. Mas ao longo destes anos, foram tantos os que me impressionaram com o seu extraordinário trabalho que em 1985 decidimos criar um galardão que distinguisse os que melhor faziam o seu trabalho. Ano após ano, escolhemos os melhores, mas hoje, passados tantos anos, foi uma felicidade para mim ter podido entregar os 14 galardões a um leque de exceção", disse Pinto da Costa durante a gala realizada na tribuna VIP do Estádio do Dragão, no Porto.

O médio Sérgio Oliveira (Futebolista do Ano) e o avançado Francisco Conceição (Atleta Revelação do Ano), do FC Porto, congratularam-se na segunda-feira com as suas distinções na gala anual de entrega dos Dragões de Ouro.

Depois de ter agradecido individualmente a cada ‘dragonado’, reconhecendo que o FC Porto apresenta “qualidade fantástica” para “garantir que estará sempre a coberto de qualquer contratempo no futuro”, o presidente afirmou que “a obra continuará a crescer”.

"Vou terminar parafraseando Fernando Pessoa como fiz no início: Deus quer, o Homem sonha e a obra nasce. Eu penso que Deus quer que não esteja durante muito mais tempo a cumprir a missão para a qual me destinou, mas eu sonho, continuo a sonhar que ainda vou poder ser durante mais algum tempo útil ao FC Porto. E continuo a sonhar e tenho a certeza que Deus me permitirá mostrar no sítio certo que a orquestração de certa comunicação social, de calúnia e mentira para me afrontar a mim, ao FC Porto e aos meus amigos, estou certo que vou a tempo de mostrar aquilo que sempre fui, como os meus pais me ensinaram. A obra continuar a crescer sempre, comigo, com quem vier, porque o FC Porto é eterno".

Veja as melhores imagens da cerimónia

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.