Em mais um episódio da série "Ironias do Destino", do Porto Canal, em que Pinto da Costa partilha as memórias mais marcantes enquanto presidente portista, referiu o caso do túnel da Luz, em 2009, como um dos mais vergonhosos de sempre do futebol português.

"Acho que está a ser muito simpática ao chamar a este acontecimento o mais polémico: foi o mais vergonhoso da história do futebol português, sem margem para dúvida. Uma montagem que houve para provocar uma zaragata, que depois deu um inquérito comandado pelo senhor Ricardo Costa e chegar à conclusão de que o Hulk foi castigado com três encontros depois de ter cumprido 17 de suspensão, porque eles não terminavam com o inquérito. Aquilo que hoje, justiça seja feita, é decidido na mesma semana, demorou o tempo suficiente para que o Hulk cumprisse 17 jogos e no fim verificarem que lhe deram o máximo que podiam, que eram três jogos. Desculpe retificar, mas o termo certo é vergonha. Esse senhor, mais os responsáveis da liga, mais o senhor doutor Hermínio Loureiro estão ligados à maior vergonha do futebol português", disse o dirigente, que explicou ainda como foi lidar com a situação.

"Foi muito difícil lidar, porque nós sabíamos que o máximo de castigo que podia apanhar eram três jogos, só que como eles estavam a verificar e a ouvir mais esta testemunha e queriam ouvir mais aquele e protelaram tudo de maneira a que ele cumprisse mais 17 jogos para dar tempo que o Benfica fosse campeão. É um episódio negro, vergonhoso, até me custa estar a dizer o nome desses senhores, porque realmente é inaudito aquilo que eles fizeram."

O Túnel da Luz

Em dezembro de 2009 registaram-se incidentes entre jogadores do Benfica e FC Porto no túnel de acesso aos balneários do Estádio da Luz, com cinco elementos portistas a serem acusados pelo Ministério Público. Nessa altura, a Comissão Disciplinar da Liga suspendeu Hulk por quatro meses e o romeno Cristian Sapunaru por seis.

Em janeiro do ano seguinte, o despacho de acusação do processo dos incidentes no túnel da Luz comprovou as agressões dos jogadores do FC Porto Sapunaru e Hulk e responsabilizou os assistentes do Benfica de provocação verbal, após jogo da 14.ª jornada da I Liga 2009/10.

No documento lê-se que "os assistentes de recinto desportivo ao serviço da SL Benfica SAD adoptaram conduta provocatória que contribuiu para a desordem e os confrontos físicos verificados no túnel após o jogo", sabendo que essa conduta era proibida e passível de punição.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto