Pizzi, jogador do Benfica, falou aos jornalistas numa sessão de autógrafos, na loja da Adidas em Nova Iorque, um dia depois da vitória do Benfica frente ao Chivas, em jogo a contar para a Internacional Champions Cup.

O internacional luso abordou os próximos jogos dos encarnados na competição - frente a AC Milan e Fiorentina -, mas acabou por também comentar uma declaração de Jonas que, na sua despedida, afirmou que o médio deveria herdar a camisola 10.

"Tenho muito orgulho em ter usado a braçadeira de capitão, mas aqui todos os jogadores se sentem capitães. O importante é o grupo de trabalho. É um orgulho enorme levar a braçadeira, mas o importante é a vitória bem conseguida contra uma boa equipa. Deu para o mister tirar ilações sobre os jogadores novos e isso é importante", começou por dizer Pizzi,

"No Benfica pensamos sempre em entrar para vencer, seja particular ou a valer. Já disse que é sempre importante vencer. Foi uma boa vitória, 3-0 contra uma boa equipa, jogadores com outra maneira de pensar o futebol. Deu para o mister tirar ilações sobre vários jogadores novos que estão a chegar. Agora temos mais dois jogos para chegarmos à Supertaça a um nível elevado", acrescentou, antes de falar dos jogos com AC Milan e Fiorentina.

"Serão dois jogos especiais para o Rui Costa, ele jogou em ambos os clubes. Mas o que queremos é continuar a melhorar todos os dias, treinar cada vez melhor, e na Supertaça contra o Sporting estarmos a um bom nível", prosseguiu.

"Vou manter a 21. Agradeço as palavras do Jonas [disse que gostava de ver Pizzi com o 10], é com muito agrado que as recebo de um craque como foi o Jonas. Mas vou manter a 21, foi um número que me deu muita sorte no Benfica e é para continuar. O 10 é para os mágicos como o Jonas", concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.