Já não há quaisquer dúvidas sobre a influência de Pizzi nesta temporada do Benfica. O camisola 21 das 'águias' admitiu, na véspera do jogo com o Zenit, que não se sentia um jogador intocável no xadrez de Bruno Lage, mas a estatística prova exatamente o contrário.

Esta temporada, ainda com a época a metade, já ultrapassou a sua melhor média de golos de sempre, com 16 nas várias competições, ultrapassando os 15 apontados em toda a temporada passada. E em termos de assistências vai a caminho de pelo menos bater o registo da última época, com 16 na I Liga - neste momento soma nove em todas as competições.

De acordo com o jornal A Bola, as 'águias' têm uma média superior a dois golos por jogo, anotando um total de 55 em 24 partidas. Ou seja, Pizzi participou, marcando ou assistindo, em 45% dos golos benfiquistas. Quase metade.

O internacional voltou a estar em evidência no triunfo por 3-0 sobre o Zenit, na última terça-feira. De braçadeira de capitão no braço, em virtude das ausências de Jardel (suplente) e André Almeida (lesionado), Pizzi assistiu Franco Cervi para o 1-0 e marcou o segundo, numa noite que terminou com o Benfica a garantir lugar nos 16 avos de final da Liga Europa.

Ao criativo falta apenas marcar numa competição, a Taça da Liga, onde jogou apenas 29 minutos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.