O FC Porto criticou as várias paragens e o pouco tempo útil de jogo, no empate que cedeu em casa do Marítimo. Sérgio Conceição criticou o árbitro Jorge Sousa por entender que foi conivente com as várias paragens provocadas pelos jogadores madeirenses. O FC Porto, através do 'Dragões Diário', também teceu críticas à dureza dos jogadores do Marítimo e ao tempo de jogo.

O jornal 'O Jogo' analisou o encontro e concluiu que este ficou abaixo da média nacional. A percentagem de tempo útil no Marítimo 1-1 FC Porto foi de 49,4 por cento, abaixo dos 51,9 por cento que são a média nacional, de acordo co um estudo do Observatório do Futebol (CIES) sobre o principal campeonato de futebol.

Mas o tempo útil de jogo até estava dentro da média antes do golo do empate do FC Porto, marcado aos 84 minutos. A análise de 'O Jogo' concluiu que, dos 11 minutos seguintes após o golo, apenas se jogou quatro (39,5 por cento). Até este momento, o tempo útil de jogo situava-se nos 52,2 por cento.

Entre o golo de Pepe, apontado aos 83 minutos e 31 segundos, e apito final de Jorge Sousa, o jogo esteve interrompido para uma assistência médica ao guarda-redes Amir (o Marítimo fez uma substituição nessa paragem), uma bola ao solo (um remate do Marítimo bateu no árbitro), um cartão amarelo a Marchesín antes de um lançamento lateral da equipa de Nuno Manta Santos, uma paragem para o guarda-redes do FC Porto calçar a bota e uma assistência médica a Otávio.

Análise/Marítimo-FC Porto: Remontar não é com este Dragão
Análise/Marítimo-FC Porto: Remontar não é com este Dragão
Ver artigo

As críticas de Sérgio Conceição e do FC Porto vem na sequência do debate lançado sobre o tempo útil de jogo nos jogos em Portugal. De acordo com o Observatório de Futebol (CIES), a Primeira Liga é a quarta liga europeia com menos tempo de jogo útil, entre as 35 competições analisadas.

Em Portugal pouco mais de metade do tempo de jogo é útil (51,9 por cento dos minutos em campo). Só a Super Liga Grega (50,9 por cento), a segunda divisão espanhola (50,4) e a liga checa (50,2) têm registos de menor tempo útil.

No extremo oposto, está o campeonato sueco com 59,7 por cento, com a maior percentagem de tempo útil. De seguida surge a Eredivisie, a Liga Holandesa, com 59,5 e o Campeonato Finlandês com 57,7.

Entre as equipas portuguesas, o Benfica é a que melhor aproveita o tempo de jogo na Primeira Liga, com 57,1 por cento, seguida de Belenenses SAD, com 54,8 e SC Braga com 54,3.

O Sporting surge no 5.º lugar nacional, com 52,9 por cento e o FC Porto, no 11.º, com 51,2 por cento de tempo útil de jogo. No último lugar entre as equipas portuguesas surge o Desportivo das Aves, com 49,5 por cento de tempo útil.

Curiosidade para o penúltimo lugar do Famalicão: a equipa sensação desta época, que esteve na liderança do campeonato até ao passado domingo, tem uma percentagem de tempo útil de jogo de 49,9 por cento.

Veja ou reveja o resumo do Marítimo-FC Porto.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.