Declarações de Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, à Sport TV, após o empate com Marítimo, na Madeira.

O que faltou? "Faltou fazer golos nas oportunidades que tivemos, suficientes para ganhar por mais do que a diferença mínima. Foi mais luta do que jogo. Querem que as equipas joguem bem, que proporcionem bom espetáculo, mas foi inadmissível o estado do relvado, completamente encharcado. Como é possível fazer um jogo da I Liga aqui, com um jogo 48 horas antes? É inexplicável. Há várias coisas, a forma como procurámos o golo, a forma como o adversário tentou levar daqui um pontinho. O árbitro foi conivente, tivemos mais amarelos, seis faltas seguidas do adversário e não vê um amarelo. Parece que querem ser mais papistas do que o papa".

Jogo pobre: "Tentámos de tudo para ganhar o jogo. Foi um espetáculo muito pobre, muito pobre".

Diferença esteve na eficácia? "Na primeira parte tivemos quatro ocasiões claras. O adversário chutou uma vez à baliza, que foi quando marcou".

O que disse ao árbitro após o apito final: "Foi o que disse aqui [na primeira resposta]".

Mensagem aos adeptos: "Nós precisamos dos adeptos connosco, ninguém ganha um campeonato com o cigarro na boca. Não éramos campeões no domingo nem agora perdemos. Precisamos que toda a gente esteja junta, senão torna-se mais difícil".

Um golo de Pepe, aos 84 minutos, permitiu ao FC Porto empatar 1-1 em casa do Marítimo, em jogo da nona jornada da I Liga de futebol, disputado no Funchal. Os insulares adiantaram-se cedo no marcador, aos 11 minutos, por intermédio de Bambock, mas os 'dragões' igualaram já na reta final da partida, através de Pepe, aos 84.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.