O presidente do Boavista, Vítor Murta, criticou duramente a atitude de Miguel Cardoso, treinador do Rio Ave, durante o empate entre os dois emblemas, no passado fim-de-semana.

"Não queria falar muito do treinador do Rio Ave, porque estamos a dar importância a alguém que não tem importância, pelo menos no universo do Boavista. Pelo que eu ouvi, pediu desculpa, mas tentou enquadrar aquele gesto em algo que entendeu como justificável. Obviamente que não o é. Foi uma falta de respeito pelo Boavista, pelos boavisteiros e por todos os que viram o jogo na televisão, que estavam no estádio, e falta de respeito pelo futebol. Esse senhor não merece que esteja a perder tempo a falar dele", disse o dirigente na inauguração das renovadas instalações da formação axadrezada.

Sobre a arbitragem, Vítor Murta salienta que o importante é dar valor aos atletas. "Neste jogo com o Rio Ave, as coisas não correram tão bem como pretendíamos em termos de arbitragem. Mas os nossos jogadores deram uma imagem de grande caráter e de grande profissionalismo. O importante é focarmo-nos nisso e deixarmos de falar de arbitragem", frisa.

Recorde-se que, no sábado, o Rio Ave empatou a três golos no terreno do Boavista. Fábio Coentrão assinou aos 90+3' o golo que valeu a igualdade aos vilacondenses. Nos festejos do tento do veterano lateral esquerdo, porém, a polémica estalou, com o treinador do Rio Ave, Miguel Cardoso, a fazer um gesto impróprio na direção do banco do Boavista, mostrando-lhes os dois dedos do meio...

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.