A ida do defesa-central brasileiro Lucas Veríssimo para o Benfica na reabertura do mercado continua em aberto e a constituir um cenário bem possível.

Esta sexta-feira, em conferência de imprensa, o presidente do Santos, Orlando Rollo, admitiu que a venda do jogador é a única forma de contornar uma dívida do clube de cerca de 8,5  milhões de euros, acrescentando mesmo que vai pressionar o Conselho Deliberativo do clube paulista de forma a que este aceite a proposta das 'águias' Benfica de 6,5 milhões pela contratação do atleta.

"O Santos precisa de negociar o Lucas Veríssimo. O Santos não tem condições para sobreviver até janeiro se não negociar o jogador. Temos uma dívida a curto prazo, entre salários e dívidas na FIFA, de cerca de 54 milhões de Reais [aproximadamente 8,5 milhões de euros]. Se não conseguirmos vender o Lucas Veríssimo, não vejo outra solução financeira", afirmou Orlando Rollo.

O dirigente sublinhou também que as condições do negócio lhe parecem aceitáveis. "Não é o pior negócio do mundo. Uma vez vendi o meu carro à pressa por metade do que valia, mas paguei minhas contas. Respirei financeiramente e comprei outro carro", acrescentou.

O Conselho Deliberativo do Santos, que é a entidade responsável pela gestão do clube paulista até às próximas eleições, não aprovou, recorde-se, a transferência numa reunião realizada na passada terça-feira.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.