O presidente do Vitória de Guimarães, Júlio Mendes, revelou hoje que "o plantel" do clube da I Liga de futebol, para a época 2015/16, está fechado, à margem da apresentação da equipa aos adeptos, que decorreu no centro histórico de Guimarães.

O dirigente, que considerou que o plantel é "equilibrado" e tem "mais competência do que nos anos anteriores", garantiu que só haverá alterações caso ocorra alguma situação inesperada.

"Posso garantir que o plantel está fechado. A menos que haja alguma lesão que possa surgir, um imprevisto, temos o plantel que queríamos, e não se espera que entre e saia mais ninguém", disse.

O responsável máximo dos vimaranenses admitiu que, neste ano, o investimento no plantel foi um pouco superior às épocas anteriores, tanto porque o clube de Guimarães já se encontra numa situação financeira mais estável, como também porque disputa este ano a Liga Europa.

"Há um investimento um pouco maior do que o que tem sido habitual. Só o fizemos, porque tivemos este desafogo, porque senão não o faríamos. Não sairíamos do nosso caminho. Há uma aposta superior, até porque temos uma oportunidade de entrar na fase de grupos da Liga Europa", explicou.

A apresentação do Vitória de Guimarães, realizada numa praça de Santiago lotada de adeptos vimaranenses, contou com 50 jogadores, repartidos entre a equipa principal, que, no dia 30 de julho, inicia a participação na Liga Europa, na Áustria, diante do SCR Altach, e a equipa B, que compete no segundo escalão.

O avançado brasileiro Henrique Dourado, de 25 anos, reforço hoje oficializado, proveniente do Cruzeiro, atual bicampeão no Brasil, e segundo melhor marcador do 'Brasileirão' de 2014, ao serviço do Palmeiras, com 16 golos, foi a principal novidade, assim como a ausência do extremo Gui.

Questionado sobre a ausência do futebolista costa-marfinense, contratado na época passada ao Sporting da Covilhã, da II Liga, o presidente Vitória de Guimarães não esclareceu a situação do jogador, referindo apenas que "os plantéis são dinâmicos, estão sempre em construção, e há elementos que saem e elementos que entram".

Júlio Mendes comentou ainda a saída do médio Bernard para o Atlético de Madrid, tendo dito, sem referir o valor monetário, que a transferência se realizou de acordo com a valia do jogador.

"A saída do Bernard é ajustada ao valor e à competência do jogador. Ele seria para nós uma mais-valia e, portanto, a compensação que vamos obter na transferência do jogador equilibra a perda da saída dele", adiantou.

O dirigente vimaranense falou também sobre as eleições para a Liga Portuguesa de Futebol Profissional, que se realizam no dia 28 de julho e opõem Luís Duque a Pedro Proença, tendo revelado que o Vitória de Guimarães não vai apoiar publicamente nenhum candidato.

"O Vitória de Guimarães não vai apoiar candidatura nenhuma. O Vitória vai votar em consciência naquele que se nos afigura o melhor candidato. Não assumo o patrocínio de nenhuma das candidaturas", esclareceu.

Questionado sobre uma eventual dívida de 50 mil euros na inscrição da equipa B, na II Liga, Júlio Mendes explicou que, numa assembleia-geral da Liga, houve uma proposta, com a qual o Vitória não concordou, para que a inscrição das equipas B passasse de 50 mil para 100 mil euros.

"Eu percebo que os clubes queiram ter acesso a mais recursos, porque este valor é para distribuir por todos, mas, por outro lado, quando isto se decidiu, nós já tínhamos construído um plantel, feito contratações e assumido responsabilidades. Há uma mudança de regras a meio do jogo, com a qual não podemos estar de acordo", disse.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.