O presidente do Sporting Godinho Lopes garantiu hoje que «está a trabalhar» conjuntamente com Luís Duque e Carlos Freiras para «constituir uma grande equipa de futebol na próxima época», que irá «aproximar ainda mais os sportinguistas do clube».

«Demarco-me de tudo de errado que se passou em relação ao futebol», disse Godinho Lopes, em declarações à Agência Lusa, ao mesmo tempo que assegura já estar a trabalhar no «futuro organigrama, que será apresentado quando estiver fechado, e nas contratações de jogadores para a próxima época, com Luís Duque e Carlos Freitas».

O presidente do Sporting considerou que as reiteradas acusações do candidato Bruno de Carvalho sobre alegadas irregularidades no acto eleitoral de 26 de Março «só servem para criar desconcentração e desestabilizar o clube».

Alega que tais acusações em vésperas de um «jogo importante do Sporting» em Guimarães só servem para «criar desconcentração, desestabilizar e prejudicar o funcionamento do clube».

Sobre o facto deste ter avançado em tribunal com uma providência cautelar no sentido de suspender os resultados das eleições, Godinho Lopes escusou pronunciar-se por se tratar de «uma decisão dos tribunais», pela qual irá «aguardar tranquilamente».

No entanto, sempre foi dizendo que o Sporting «é um clube democrático, onde se ganha e perde por um voto» e que a vontade dos sócios se «expressou nas urnas».

Questionado se teria aceite os resultados eleitorais caso tivesse perdido a eleição para o Conselho Directivo para Bruno de Carvalho por 360 votos, respondeu assim: «Ganhei em duas listas, perdi numa, aceito os resultados, porque no Sporting a democracia deve imperar».

Rejeita as acusações de Bruno de Carvalho, que alude a várias irregularidades, remetendo para a as declarações do então presidente da Mesa da Assembleia-Geral (AG), que afirmou «não ter havido qualquer protesto ou pedido de recontagem» dos votos por parte dos delegados das várias listas «antes de encerrar o acto eleitoral e ser redigida a acta» e na presença dos «delegados de todas as listas».

Godinho Lopes prefere focar-se na resolução dos problemas do Sporting e em trabalhar com o presidente da Mesa da AG eleito, Eduardo Barroso, da lista de Bruno de Carvalho: «Aceitamos legitimamente os resultados eleitorais e, assim sendo, entendemos, desde a primeira hora, que tendo sido aquela Mesa da AG eleita por vontade dos sócios, é com ela que temos de trabalhar».

O presidente dos "leões" revelou mesmo que tem falado com Eduardo Barroso e que já lhe remeteu uma carta pedindo-lhe para ser convocada uma Assembleia Geral no sentido de serem alterados os estatutos em relação a três pontos concretos.

«A realização de assembleia referendária, a criação de mais duas categorias de sócios, a de sócio apoiante ou sócio adepto e de sócio atleta, além do sócio efectivo que já existe, e finalmente a descentralização do voto», referiu Godinho Lopes, recordando já ter chamado neste primeira semana pós-eleitoral os vários candidatos para lançar a auditoria que prometera aos sócios.

A descentralização decorrente destas medidas irá permitir «a aproximação dos núcleos e de todo o universo Sporting», nomeadamente a «aprovação em comissão eleitoral do voto electrónico», cuja implementação «está a ser preparada».

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.