Raúl Silva recebeu dois jogos de castigo por ter sido expulso com vermelho direto, já depois de ter sido substituído, no jogo do passado frente ao FC Porto, devido ao uso "de linguagem injuriosa e grosseira", segundo o mapa de castigo do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol.

No relatório da equipa de arbitragem liderada por João Pinheiro são explicados os motivos que levaram à expulsão do defesa brasileiro. "Marca a falta, seu filho da p...", terá começado por dizer Raúl Silva ao árbitro, o que levaria à exibição do cartão vermelho direto.

"Depois da exibição do cartão vermelho, quando se ia a dirigir para o túnel de acesso ao balneário, dirigiu as seguintes palavras ao quarto árbitro: "Fala assim para mim lá fora a ver se eu não te rebento a cara, filho da p...", refere ainda o relatório de João Pinheiro.

Além dos dois jogos de suspensão, Raúl Silva tem ainda de pagar uma multa de 1.071 euros.

Já o fisioterapeuta Rui Sousa, do FC Famalicão, que defrontou o Benfica (vitória por 5-1 das 'águias'), foi suspenso por 22 dias por causa da "lesão da honra e da reputação e denúncia caluniosa" do árbitro Luís Godinho, informou o conselho de disciplina em comunicado, referindo que o responsável "utilizou gestos e/ou linguagem ofensiva, insultuosa ou abusiva ao gritar para o árbitro".

Rui Sousa foi ainda condenado a pagar uma multa de 1.530 euros.

Já Rafael Defendi, do Farense, foi suspenso por uma partida devido ao vermelho direto que viu durante o encontro frente ao Moreirense, que terminou com a vitória dos minhotos (2-0).

"O agente foi expulso porque tocou deliberadamente a bola com a mão, anulando uma clara oportunidade de golo para a equipa adversária", sublinhou o conselho de disciplina, que aplicou uma multa de 21 euros ao atleta.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.