O clássico espanhol caiu para os lados de Madrid. O Real de Zidane venceu o Barcelona por 2-0, com golos de Vinicius e Mariano, marcados no segundo tempo. Os 'culés' foram melhores no primeiro tempo, tiveram algumas oportunidades mas falharam na finalização. Os 'merengues' melhoraram na segunda parte e foram mais eficazes, marcando dois golos que os atira de novo novo para a liderança da Liga Espanhola.

Veja as melhores imagens do jogo

O clássico espanhol tinha o condão de poder mexer no topo da tabela da Liga, com o Real Madrid a poder ascender novamente à liderança, em caso de triunfo. Uma vitória dos 'culés' deixaria os 'merengues' a cinco pontos.

Zinedine Zidane, técnico do Real Madrid, surpreendeu no onze, lançado Marcelo no lugar de Mendy, o lateral que tem jogado mais vezes esta época. Além da titularidade do brasileiro, o treinador francês deixou Modric no banco. Já Setién recuperou Jordi Alba para a titularidade, após lesão. Umtiti foi titular, Lenglet ficou no banco.

Com Griezmann e Messi na frente e com o português Nelson Semedo na lateral direita, o Barcelona atacava num 4-4-2. Os catalães tinham mais bola, iam controlando o desafio, com o Real Madrid a apostar no contra-ataque e na velocidade de Isco, Vinicius e Benzema.

O primeiro lance de algum registo apareceu aos onze minutos, com o cartão amarelo mostrado a Vinícius, após falta dura sobre Nelson Semedo. Os primeiros minutos de estudo mútuo tinham passado.

Aos 21 minutos, surgiu a primeira grande oportunidade de golo: Messi deixou em Alba que meteu de primeira na área mas o remate do francês Griezmann saiu por cima.

Com Messi a organizar jogo atrás, pedia-se mais movimentações aos médios e aos laterais para romper entre a estrutura defensiva dos 'merengues'. Só aos 30 minutos o astro argentino teve a primeira oportunidade mas o seu remate saiu à figura de Courtois.

Numa das poucas saídas em bloco, o Real Madrid perdeu a bola no ataque e deixou a sua defesa descompensada. Artur Mello correu com a bola, entrou na área e rematou contra as pernas do guarda-redes belga. Aos 38 minutos, novamente Courtois a levar a melhor sobre Messi. Os 'culés' criavam situações de golo mas falhavam na finalização.

No segundo tempo o Real Madrid apareceu melhor no terreno, mais assertivo na saída de bola. Aos 56 minutos Isco teve um lance genial, rematou em arco mas Ter Stegen voou para uma defesa fantástica. Pouco tempo depois, aos 61, novamente Isco a cabecear para golo mas apareceu Piquè, em cima da linha de golo, a salvar. E aos 63 é Benzema a rematar por cima, quando estava em boa posição para marcar. De um momento para outro, o Real Madrid tinha descoberto como ferir o Barcelona.

Setién quis dar mais poder ofensivo à sua equipa e trocou Arturo Vidal por Braithwaite. Mas quem viria a marcar era o Real Madrid. Vinícius trocou a bola com Isco, Braithwaite ficou perdido na marcação. O brasileiro correu para a área, rematou, a bola desviou em Piquè e traiu Ter Stegen, aos 71 minutos.

O jogo estava louco e o Barcelona só não empatou porque Marcelo fez um corte fantástico sobre Messi, aos 75.

Setién voltou a mexer, trocando Arthur e Griezmann por Rakitic e Ansu Fati. Zidane lançou Modric, Mariano e Vázquez, nos postos de Valverde, Vinícius e Isco. O francês seria mais feliz nas mexidas já que Mariano 'matou' o jogo aos 92 minutos, em lance de contra-ataque: entrou na área e rematou entre o poste e Ter Stegen, fazendo o 2-0.

O resultado permite ao Real Madrid voltar às vitórias e subir de novo à liderança da Liga Espanhola, agora com 56 pontos, mais um que o Barcelona. Os madrilenos tinham empatado na primeira volta em casa dos 'culés'.

Horas antes, o Atlético de Madrid empatou 1-1 na visita ao lanterna-vermelha Espanyol e caiu para o quinto posto da Liga espanhola, num encontro no qual os catalães colocaram-se na frente do marcador aos 24 minutos, com um autogolo do central montenegrino Stefan Savic, antes de Saúl Ñíguez repor a igualdade, aos 47 minutos.

O internacional português João Félix começou a partida no banco de suplentes dos madrilenos, tendo sido ‘lançado’ pelo técnico Diego Simeone para o lugar do belga Yannick Ferreira-Carrasco, aos 57 minutos.

O Atlético de Madrid, que era terceiro colocado à entrada para esta ronda, soma 44 pontos e foi ultrapassado por Sevilha (46), que bateu em casa o Osasuna, e Getafe (45), vencedor em Maiorca.

A formação do ex-técnico portista Julen Lopetegui chegou ao intervalo a vencer por 2-0, com tentos do marroquino Youssef En Nesyri, aos 13 minutos, e do argentino Lucas Ocampos, aos 45+1, mas o conjunto de Pamplona, que ficou reduzido a 10 elementos aos 54, por expulsão do guarda-redes Sergio Herrera, chegou ao empate, através de Aridane e Roberto Torres, aos 64 e 74, respetivamente, o último de grande penalidade.

Já em período de compensação, o Sevilha ainda conseguiu chegar ao terceiro golo e garantir a vitória, graças ao ‘bis’ de En Nesyri, aos 90+3 minutos.

O Getafe, que vinha de dois desaires no campeonato, com os sevilhanos e o FC Barcelona, é agora quarto classificado, depois de ter vencido por 1-0 na deslocação a Maiorca, com um tento do médio sérvio Nemanja Maksimovic, aos 67 minutos.

No outro jogo do dia, o Athletic Bilbau, 10.º colocado, pôs termo a uma longa série de 10 jogos sem ganhar, ao bater o Villarreal, oitavo, por 1-0, graças a um penálti convertido por Raúl Garcia, aos 56 minutos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.