O “respeito pelas normas” no regresso da I Liga de futebol permitirá o regresso dos espetadores às bancadas dos estádios ainda antes do final da época, na opinião de três antigos jogadores de FC Porto, Benfica e Sporting.

A ideia foi partilhada por Jorge Andrade, Simão Sabrosa e Ricardo Pereira, num painel ‘online’ promovido por uma empresa de apostas desportivas, onde os três concordaram, ainda, que o “mais importante” é mesmo o reatar da competição após a interrupção devido à pandemia de COVID-19, independentemente do aspeto das bancadas.

“[O regresso da competição] É uma conquista de muita gente que fez esforços, daí que esta fase de adaptação tenha de ser cumprida por todos, seguindo a DGS [Direção-Geral da Saúde] para que as coisas tenham um bom rumo. A ideia não é só acabar, mas fazê-lo em grande estilo. Terminar com público vai ser uma vitória de todos e o grande vencedor vai ser a saúde”, afirmou Jorge Andrade.

O antigo defesa central dos ‘dragões’ lembrou, também, que as pessoas “têm de ser conscientes” e que o futebol “tem de ser responsável se quiser acabar em grande” e disse acreditar que as claques que pretendiam apoiar as suas equipas desde o lado de fora dos estádios “não irão fazê-lo”.

Pelos ‘encarnados’, Simão Sabrosa concordou que a eventual aglomeração de adeptos fora dos estádios “é preocupante para todos”, incluindo os próprios apoiantes, mas mostrou-se confiante de que “a maior parte das pessoas vão respeitar” e lembrou que, se o campeonato não chegar ao fim, “todos os clubes vão sofrer consequências”.

“Vamos respeitar as normas e continuar a ser o exemplo que temos sido para o mundo, para que daqui a duas semanas possamos ter pessoas no estádio. Não iremos ter os estádios cheios, mas se conseguirmos 10 ou 15 mil pessoas num estádio [dos três grandes] já é uma vitória”, assinalou o antigo jogador do Benfica que fez a formação no clube de Alvalade.

Por outro lado, Ricardo Pereira lembrou que estádios cheios são “uma realidade exclusiva dos clubes grandes” e afirmou que as mensagens dos governantes “são importantes para apelar ao bom senso” dos adeptos em geral, ‘apostando’ em celebrações ‘alternativas’ para os apoiantes da equipa que vier a conquistar o título.

“Toda a gente gosta de celebrar as vitórias, mas as pessoas têm de ter noção que há um mínimo a cumprir. Tem de se encontrar exceções em termos de celebrações em casa, talvez permitindo barulho até mais tarde nesse dia”, sugeriu o antigo guarda-redes dos ‘leões’.

A I Liga vai ser reatada a partir de quarta-feira sob fortes restrições e sem público nos estádios, com o encontro entre Portimonense e Gil Vicente, naquele que vai ser o primeiro dos 90 jogos das últimas 10 jornadas, até 26 de julho

Após 24 jornadas, o FC Porto lidera a competição, com 60 pontos, mais um do que o campeão Benfica.

Além do principal escalão, também a final da Taça de Portugal, entre Benfica e FC Porto, integra o plano de desconfinamento face à pandemia de COVID-19, ainda em data e local a designar.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.