De acordo com a RTP, a Liga Portuguesa de Futebol Profissional está a analisar a hipótese de existirem jogos marcados para as 15h30 ou 16h no período de junho e julho, horas marcadas normalmente pelas altas temperaturas habituais do verão.

Ouvido pelo canal público, Carlos Carvalhal, treinador do Rio Ave, não escondeu o seu descontentamento face a esta possibilidade.

"Fazer jogos no pico do calor, no pico do verão, às 15h, 16h ou às 17h é o mesmo que dizerem 'vamos arruinar a vossa equipa e a vossa equipa vai demorar uma semana a recuperar'. Acho que os jogadores merecem esse respeito. Eu digo abertamente que isto será o mesmo que dizer que os jogadores são carne para canhão", disse.

O técnico do Rio Ave considera ainda, que devido ao longo periodo de paragem e ao grande volume de jogos em falta, o período entre jogos deveria ser aumentado.

"O espaço entre jogos de 72 horas não é suficiente. Isso seria uma linha vermelha a ser ultrapassada por uma competição normal. Nós estamos numa situação excecional, por tanto eu no mínimo penso que o normal seria um intervalo de 96 horas".

A Primeira Liga tem regresso marcado para 4 de junho, sendo que ainda não é conhecido o calendário da retoma.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.