“As coisas estão a correr mal, as exibições são paupérrimas, os resultados medíocres e os sportinguistas estão muito tristes e desapontados com esta situação. Eu também sofro e sei isto pelos “leões” que me abordam na rua manifestando apreensão», declarou Rogério Alves à TSF, acrescentando que a produção da equipa está aquém do pior cenário imaginado.

Rogério Alves pediu ainda serenidade mas também acção ao presidente Bettencourt, de forma a encontrar a melhor solução possível para o clube.

“É preciso agir, e há no Sporting quem tem obrigação e legitimidade para o fazer. O presidente e sua equipa têm de explicar aos sportinguistas que medidas vão tomar para que esta situação se altere, mesmo que passe por alterar a equipa técnica”, reconheceu.

“Acho que os adeptos estão a sofrer como eu estou, muito apreensivos, descontentes, mas não podemos ser auto-destrutivos, temos de dar alguma serenidade à direcção. É bom que José Eduardo Bettencourt – à volta de quem nos devemos agregar e apoiar, porque somos um grande clube mesmo em crise – diga aos sportinguistas que plano de contingência tem para gerir esta crise», pediu.

“Ele é um grande sportinguista, estará tão triste como nós. Vamos dar-lhe tempo para que diga o que vai fazer, sem entrar em ataques violentos”, acrescentou o presidente da Mesa da Assembleia Geral dos “leões”, referindo-se a Bettencourt.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.