O Sporting oficializou esta quinta-feira a renovação de contrato com Rúben Amorim, até 2024, com a cláusula de rescisão a subir para 30 milhões de euros. O técnico desvalorizou o momento em que a renovação foi oficializada, numa altura em que começam a surgir rumores do interesse de clubes ingleses.

"Temos uma ideia para o clube, que é a longo prazo, e daí o acordo. Agora para me mandarem embora têm de pagar um bocadinho mais, é a única diferença. Não importa os interessados em mim, nem o contrato. É motivo de confiança, mas se não ganhar ao Santa Clara tudo muda. Temos muito para fazer e manter este projeto", referiu o técnico 'leonino', na conferência de antevisão ao jogo com o Santa Clara.

"Teria de confirmar se são 30 milhões de euros e não confirmo nada do contrato. Os contratos são feitos de acordo com a confiança das duas partes. Enquanto estiver feliz no Sporting, não será razão de dinheiro, se me quiserem mandar embora é uma questão de me pagarem. Mas o projeto é a minha cara. O futebol, no entanto, é o momento e daqui a duas semanas podemos estar num ambiente diferente", acrescentou.

Rúben Amorim prolongou por mais uma época o contrato com o Sporting, depois de em março do ano passado ter sido contratado pelos ‘leões’ ao Sporting de Braga, por 10 milhões de euros.

"Não esperava ficar no terceiro lugar na temporada passada. Por mais difícil que soubesse que era, com a revolução que começámos a fazer. Chamámos muito jovens, mas não imaginaria que não iríamos conseguir o terceiro lugar. Agora estamos num bom momento e num bom lugar. Pode mudar daqui a quatro jornadas. Se mudou desde esse quarto lugar para hoje, pode mudar outra vez. Há que ter sempre isso na cabeça e trabalhar jogo a jogo, como temos vindo a fazer", sublinhou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.