O antigo guarda-redes do Sporting Rui Patrício relatou esta segunda-feira que os invasores entraram na academia de Alcochete “com uma agressividade muito grande e começaram logo a agredir”, admitindo que teve o sentimento de “não nos matem”.

“Estava no balneário a preparar-me para o treino quando ouvi barulho"Estava o plantel quase todo no balneário. Se calhar estavam para aí 20 pessoas. Vasco Fernandes, que era o nosso secretário técnico, estava a tentar fechar a porta mas não conseguiu. Quando entraram já vinham no corredor a gritar: 'filhos da p..., vamos matar-vos!'", começou por contar Patrício.

O guaridão prosseguiu a descrição dos eventos. "Entraram de cara tapada e começaram logo a agredir. Não falaram com ninguém, começaram logo a agredir. Entraram com uma agressividade muito grande. Vinham com tudo. Eles entraram, não sei se vinham para matar, mas vinham com tudo”, relatou.

O internacional português assumiu que naquele momento teve um sentimento de: “não nos matem”.

“Dava para perceber que havia muita confusão. Quem foi agredido, não deu para perceber. Havia confusão, havia fumo, havia gritos. Quando entraram no balneário, lançaram tochas. Nós tentávamos acalmá-los, mas eles estavam muito agressivos. Mandaram tirar a camisola, disseram ‘vocês são uma vergonha’ e vamos matar-vos. Foi um momento de muita tensão”, descreveu o guarda-redes.

Rui Patrício foi ouvido por Skype na 16.ª sessão do julgamento da invasão à academia ‘leonina’, em Alcochete, em 15 de maio de 2018, com 44 arguidos, incluindo o antigo presidente do clube Bruno de Carvalho, que decorre no Tribunal de Monsanto, em Lisboa.

O agora guardião do Wolveramphton contou ainda que o primeiro elemento a entrar no balneário desferiu um pontapé em alguém que não se recorda, acrescentando que, quando estava a tentar separar um dos elementos que estava a agredir o William Carvalho, com “socos no peito, juntaram-se mais três ou quatro indivíduos” e agarraram-no e agrediram-no.

Depois, relatou, um dos elementos virou-se para si e disse: “‘Estás aqui? Queres ir embora, eu parto-te a boca toda’”.

Após a invasão, Rui Patrício afirmou ter visto “Bas Dost a levar pontos na cabeça e o mister Jorge Jesus a sangrar da boca e do nariz”, quando o técnico foi ter com os jogadores ao balneário.

No exterior da ala profissional, mas ainda no interior da academia, Rui Patrício contou que viu ainda Fernando Mendes, um dos arguidos no processo e antigo líder da claque Juventude Leonina, a falar com o treinador Jorge Jesus e o jogador William Carvalho.

Rui Patrício também falou sobre o célebre post de Bruno de Carvalho após a derrota ante o Atlético de Madrid. Para Rui Patrício, esse post a criticar o plantel tinha como objetivo virar os adeptos contra os atletas."Houve um post público do presidente do Sporting a criticar os jogadores e a equipa. Pedimos uma reunião com ele. Falámos com o Geraldes no hotel para marcar a reunião. Quando chegámos a Lisboa foi-nos dito que a reunião não ia acontecer. Que só aconteceria depois do jogo de domingo. Ficámos boquiabertos!", explicou o guarda-redes

A reunião acabou por ser antecipada para sábado, lembrou Patrício, e William de Carvalho terá dito a Bruno de Carvalho que Mustafa lhe transmitira que o presidente tinha mandado partir os carros dos jogadores. "Ele [Bruno de Carvalho] desmentiu. Disse que, se quisesse bater em alguém, não precisava de ninguém. Acabou a reunião, o presidente saiu da sala e voltou com o telefone em alta voz a perguntar ao Mustafá 'mandei partir os carros ou agredir alguém?' Ele disse que não.", contou o guardião

Sobre a reunião a 14 de maio com Bruno de Carvalho, que antecedeu o ataque à Academia de Alchotete, Rui Patrício contou o que o ex-dirigente disse aos jogadores a terminar"No final, virou-se para nós e disse, 'se precisarem de alguma coisa, liguem para mim ou para o Geraldes. Depois eu ligo para vocês. Nós somos uma família e aconteça o que acontecer, vocês vão estar bem para jogar a final da taça'. Depois virou-se para o Acuña e pergunto-lhe 'porque é que fizeste aquilo? Estiveram a ligar-me a noite toda, eu falo com eles, nós vamos tentar resolver isto'.", disse Rui Patrício, recordando as palavras de Bruno de Carvalho.

O atleta, de 31 anos, atualmente nos ingleses do Wolverhampton, esteve no Sporting durante 18 anos, desde os 12 anos até aos 30 anos.

*Corrigida a declaração de Rui Patrício, no sétimo paragráfo ("Estás aqui?" e não "Estás-te a rir?), a 8/1/2020, 14h25

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.