O treinador Rui Vitória desvalorizou hoje a ausência do Vitória de Guimarães da Liga Europa de futebol na próxima época por não ter cumprido os requisitos legais, nomeadamente financeiros, impostos pela UEFA.
O técnico disse que a equipa "tenta desligar" dessa questão e, «até terminar o campeonato, a única preocupação é ter a maior pontuação possível, tentar somar 48 pontos».
«Claro que todos os fatores de motivação são importantes e [participar na Liga Europa] tem alguma importância por tudo o que tem sido o nosso percurso. É um fator motivador para qualquer equipa e para qualquer jogador, mas não nos podemos guiar por isso neste momento. Estamos focados em dar aos nossos adeptos, e a nós mesmos, mais uma vitória, porque precisamos de terminar em beleza», disse.
O Vitória de Guimarães poderia qualificar-se para a Liga Europa, por via do sexto lugar na Liga portuguesa, caso o Sporting derrotasse a Académica na final da Taça de Portugal.
Apesar do jogo com a Académica, no sábado, da 30.ª e última jornada da Liga, já não ter influência na classificação final dos vimaranenses, é essencial para a turma de Coimbra, que ainda luta pela manutenção.
O técnico quer «deixar uma boa imagem no último jogo em casa e dar alguma esperança para o futuro do Vitória» e frisou que «a obrigação da equipa é fazer tudo para vencer», independentemente do adversário e da sua situação na tabela classificativa.
«Há um conjunto de motivos importantes para este último jogo e, para quem passou tantos problemas, era fundamental culminar a época com uma vitória junto dos nossos adeptos. A história faz-se de dados objetivos e somar 48 pontos num contexto tão desfavorável valorizaria toda uma estrutura e todas as pessoas que nos ajudaram para que tivéssemos a estabilidade possível numa das épocas mais difíceis, ou a mais difícil, da história do Vitória», disse.
Vitória disse esperar uma Académica «muito empenhada em alcançar o seu objetivo», o que também pode trazer «um acréscimo de motivação e concentração, mas também de ansiedade».
«É uma equipa de qualidade, organizada e com bons jogadores, mas as coisas não lhe correram bem. As equipas, às vezes, entram em fenómenos estranhos, mas o futebol tem destas coisas», notou.
O treinador deixou ainda uma crítica para a ausência da seleção portuguesa de sub-19 do avançado júnior Ricardo, que tem sido convocado para os jogos da equipa principal.
«Surpreende-me a sua ausência. É o melhor marcador da fase final do campeonato de juniores e não é um ponta-de-lança, é um extremo de grande qualidade e estranho que um jogador destes, a quem reconheço capacidade enorme, não sirva os interesses da seleção de sub-19», afirmou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.